Notícia

Jornal da Unesp online

Prêmio para manejo de praga de laranjais

Publicado em 01 outubro 2008

Por Renato Coelho

Trabalho que estuda e combate nematóide obtém primeiro lugar em congresso na Austrália

 

Um projeto de doutorado voltado para o estudo e o manejo de uma espécie de nematóide que ataca laranjais foi premiado no Quinto Congresso Internacional de Nematologia, em Brisbane, na Austrália, em julho. A pesquisa, que conquistou o primeiro lugar na categoria Nematode Management, foi realizada por Sérgio Ademir Calzavara, pós-doutorando em Agronomia da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), câmpus de Jaboticabal.

Em seu trabalho, Calzavara quantificou as perdas causadas pelo nematóide Pratylenchus jaehni em mudas novas de laranjeiras e identificou os sinais dos ataques. “No estudo, procuro descrever os sintomas das plantas infectadas, ou seja, a baixa intensidade foliar, folhas e frutos menores, crescimento retardado, déficit hídrico e morte das raízes, além de estudar a faixa de hospedeiros dos nematóides e analisar a resistência de porta-enxertos de citros ao nematóide”, diz o agrônomo.

O pós-graduando também buscou alternativas de combate à praga, como o porta-enxertos. O procedimento consiste em enxertar uma muda de um outro fruto – no caso, limão-cravo – em mudas resistentes de pé de laranja. Em seguida, poda-se a parte superior da planta enxertada e coloca-se em seu lugar a copa da árvore responsável pela produção de frutos. “Essas culturas podem ser implantadas na área de um velho pomar infestado com o propósito de reduzir o número de nematóides no solo, evitando seu alastramento”, diz.

Bons resultados

Realizado em uma fazenda em Itápolis (SP), o estudo surgiu após a identificação e descrição do nematóide em 2001, por pesquisadores da Unesp e dos Estados Unidos. Os nematóides são minúsculos organismos que vivem em diversos ecossistemas, em quase todas as regiões do mundo. Algumas espécies parasitam plantas, sendo encontradas nas raízes e no solo.

“Os resultados revelaram que mudas enxertadas em porta-enxertos resistentes podem ser utilizadas para substituir árvores de citros mortas, apontaram as culturas que podem ser implantadas na área de um velho pomar infestado com o propósito de reduzir o número de nematóides no solo, além de detectar que os nematóides reduzem o crescimento das plantas jovens, do diâmetro do tronco ao volume de copa das árvores, a partir de um ano de inoculação”, explica o especialista.

O orientador da tese, Jaime Maia dos Santos, professor do Departamento de Fitossanidade da FCAV, relata que a conquista é uma evidência da qualidade das pesquisas promovidas em Jaboticabal. “Para o Sérgio, a premiação é um indicador do nível de excelência de sua formação profissional, compartilhada com a Universidade que o formou”, diz o docente. O estudo foi contemplado com uma bolsa da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) para dar continuidade à pesquisa.