Notícia

Folha do MS

Prêmio dará R$ 200 mil para autor da melhor pesquisa sobre alimentação

Publicado em 10 julho 2015

Já estão abertas as indicações para o Prêmio Péter Murányi 2016 (www.fundacaopetermuranyi.org.br), que contemplará com R$ 200 mil o autor do melhor trabalho científico na área de Alimentação. A Fundação Péter Murányi, organizadora do Prêmio, enviou convite para mais de 1.700 instituições do Brasil e de outros países da América Latina, informando os procedimentos para participação do prêmio. Os dirigentes das universidades, instituições de pesquisa e demais entidades ligadas à área de ciência, tecnologia e inovação devem se cadastrar no Colégio Indicador, até 14 de agosto, para participar do prêmio. Poderão ser indicados até dois trabalhos, cujo prazo de envio vai até 30 de setembro.

Serão aceitos apenas trabalhos inovadores, com aplicabilidade prática e que contribuem para melhorar a qualidade de vida das populações de países em desenvolvimento. Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Técnica e Científica, que selecionará três finalistas para o Júri. A Comissão Técnica tem a colaboração de cientistas especializados em alimentação, o que resulta em uma seleção criteriosa e de altíssimo nível, ressalta a presidente da Fundação, Vera Murányi Kiss. Já o Júri é composto por cientistas renomados e membros da sociedade civil, acrescenta.

A escolha do vencedor, pelo Júri, ocorrerá em fevereiro de 2016. A premiação será realizada no mês de abril, em uma cerimônia na capital paulista. O vencedor, além do prêmio em dinheiro, receberá um troféu. Já os demais finalistas, menção honrosa e diploma. Todos terão a oportunidade de apresentar seus trabalhos em uma sessão especial da 68ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o maior evento científico do País.

Concedido anualmente, o Prêmio Péter Murányi contempla alternadamente quatro áreas: saúde, educação, alimentação e desenvolvimento científico & tecnológico. Desde que foi instituído, já foram concedidos cerca de R$ 2 milhões em prêmios. É um reconhecimento àqueles que se destacam por suas descobertas inovadoras e práticas focadas no desenvolvimento e no bem-estar social dos países em desenvolvimento, ressalta a presidente da Fundação.

Em sua 15ª edição, o Prêmio conta com o reconhecimento e o apoio da Academia Brasileira de Ciências (ABC), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), da Academia de Ciências do Estado de S. Paulo (Aciesp) e da Associação dos Cônsules Honorários no Brasil (Aconbras).

Sobre a Fundação: A Fundação e o Prêmio Péter Murányi foram idealizados e concebidos pelo empresário e filantropo húngaro, naturalizado brasileiro, Péter Murányi. Falecido em 1998, Murányi manifestou em seu testamento o desejo de criar uma Fundação que concedesse anualmente um prêmio a pessoas físicas ou jurídicas, além de entidades públicas ou particulares, de qualquer parte do mundo, que se destacassem por descobertas científicas voltadas para o desenvolvimento e o bem-estar social das populações de países em desenvolvimento.

Criada em 1999, a Fundação concedeu seu primeiro prêmio em 2002. Uma das poucas, no Brasil, com foco na ciência e na responsabilidade social, a Fundação reflete a personalidade de Péter Murányi. Um empresário inovador e bem-sucedido que acreditava na educação e na ciência como mola propulsora para mudanças sociais. Sua história foi contada em livro, pelo jornalista Ricardo Viveiros, lançado este ano e disponível gratuitamente no endereçowww.fundacaopetermuranyi.org.br/semlimite.

Fonte: Jornal da Ciência