Notícia

Jornal da Ciência online

Premiação da Mostra “As Ciências e a Pandemia de Covid-19” destaca importância da divulgação científica

Publicado em 07 dezembro 2020

Integrantes das equipes que produziram os vídeos vencedores participaram de sessões especiais na quinta e na sexta-feira, durante o último ciclo da 72ª Reunião Anual da SBPC

A divulgação científica ganhou mais relevância diante da pandemia provocada pelo novo coronavírus e, mais uma vez, demonstrou papel fundamental para que a população tenha acesso a informações de qualidade, objetivas e com base no melhor conhecimento científico disponível. Segundo os vencedores da Mostra “As Ciências e a Pandemia de Covid-19” que participaram das sessões especiais, realizadas nos dias 3 e 4 de dezembro, foi esse sentimento que os motivou a realizar as produções.

Promovida pela SBPC com o objetivo de estimular e ajudar a promover e difundir as iniciativas audiovisuais de divulgação e conscientização sobre a pandemia de coronavírus no Brasil, a mostra recebeu 58 vídeos – 10 vídeos de até um minuto, 39 curta metragens e 9 média metragens. Instituições de 14 estados da Federação, de todas as regiões do País, enviaram trabalhos que colaboraram com a disseminação de informações sobre a covid-19 e seus impactos na sociedade.

Os vídeos foram disponibilizados em uma playlist do canal da SBPC do YouTube para apreciação do público e do júri. Por meio de curtidas nos vídeos, o público pode selecionar os três favoritos em cada categoria. Um júri selecionado pela SBPC selecionou outros três vídeos e concedeu uma menção honrosa a uma produção, pela criatividade e originalidade. Até o dia 03 de dezembro, os vídeos tiveram mais de 26 mil visualizações e mais de 7 mil curtidas. A playlist completa das produções recebidas estão disponíveis neste link (acesse aqui).

“É um prazer para a SBPC ver essas formas tão interessantes de divulgação científica”, celebrou a vice-presidente da SBPC, Fernanda Sobral, na sessão de quinta-feira. “Os trabalhos, além de muito criativos, são muito importantes e relevantes, mostrando o quanto a ciência é decisiva neste momento de enfrentamento da covid-19?, acrescentou o presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira.

Gean Magalhães, que representou a equipe do drop Espaço temporal da Covid no Estado de Rondônia , vencedor da categoria pelo voto do público, disse que o que motivou o grupo a realizar o projeto foi a ideia de retratar o avanço da covid-19 no Estado de Rondônia. “Fizemos publicações em formato de gráficos e mapas, mas quando vimos o edital da SBPC, resolvemos disponibilizar este material no formato de vídeo para poder mostrar o trabalho realizado pela universidade e de seus pesquisadores”, explicou.

“Em momentos como esse que estamos vivendo (por conta da covid-19), felizmente, a divulgação científica entra no foco e sua relevância é reconhecida”, afirmou Mariana Rodrigues Pezzo, que representou o Laboratório Aberto de Interatividade para a Disseminação do Conhecimento Científico e Tecnológico (LAbI), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). A equipe teve dois vídeos entre os mais votados pelo público na categoria drops, de até um minuto de duração: Máscara e Distanciamento.

“Com o surgimento dessa nova pandemia, nós percebemos que poderíamos ajudar a população a entender melhor a situação em emergência em saúde pública e da resposta governamental a esse tipo de evento”, comentou Lucilene Rafael, que faz parte da equipe que realizou o curta entre os mais votados pelo público, Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional, da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças/Universidade de Pernambuco – Fensg/UPE.

A professora Maria Rejane Ferreira da Silva, uma das responsáveis pelo média metragem Conversando sobre… Palavras usadas na pandemia , produção do Grupo de Estudos de redes Integradas de Serviços de saúde (GERISS), ressaltou a importância de traduzir conceitos científicos numa linguagem acessível para todos os públicos. O vídeo traz esclarecimentos sobre diversos termos técnicos divulgados na mídia.

Daniela Volcan Almeida, Bruna Nonberg e Raiza Azevedo, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), integram a equipe que produziu o vídeo Entendendo o Novo Coronavírus, entre os mais votados pelos internautas. “Acreditamos que a ciência deve chegar à população com informações corretas”, ressalta Nonberg.

Ben Rholdan, que faz parte de equipe do Boletim Covid Pará, realizado pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), em parceria com pesquisadores da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) e Universidade Federal do Pará (UFPA), concordou que a voz da ciência se faz muito necessária nesse contexto de fake news e informações desencontradas. Jonas Castro acrescentou que, com esse projeto, a universidade pode cumprir seu papel aproximar mais a ciência e tecnologia da sociedade. A produção foi escolhida pelo público na categoria curta metragem.

Seleção do júri

Anthony Santana, que faz parte da equipe do drop “Pessoas com deficiência e a prevenção de covid-19”, escolhido pelo júri, ressaltou as dificuldades para a realização do vídeo. “O processo foi doloroso, já que todos estavam em casa, mesmo tendo sido orientados por docentes e técnicos da universidade. E ter esse trabalho, que teve como objetivo levar a divulgação e conhecimento científico para a população, premiado é uma alegria imensa”, disse. O vídeo é uma realização da equipe da Rádio Universitária Paulo Freire, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

“Foi uma primeira experiência nossa na área de animação. Nos aventuramos nessa história”, contou o professor Marcus Vale, diretor do Seara da Ciência, da Universidade Federal do Ceará (UFC), que tem uma longa trajetória de produção de vídeos, mas produções mais longas, em formato documentário. Sua equipe venceu na categoria curta metragem pela votação do júri com o vídeo animado E por falar em vírus. Segundo ele, a premiação da SBPC é um incentivo para continuar as produções desse tipo.

Maria Guimarães, que coordena a produção de vídeos da Pesquisa Fapesp, ressaltou ainda os esforços para divulgar os diferentes aspectos da pandemia, e Renata Druck, uma das responsáveis pela produção e direção do média-metragem “Para além da sala de aula“, contou que a equipe precisou também inovar na realização da produção. “A produção partiu de uma matéria produzida pela revista sobre ensino a distância. Mas resolvemos realizar os depoimentos dos professores remotamente. Esporadicamente fazíamos as entrevistas assim, mas agora isso virou uma regra”, disse. O vídeo venceu a Mostra pelo voto do público e do júri.

A ficção Isolada, produção de estudantes da Universidade Estadual de Goiás (UEG), ganhou pelo voto do público e também recebeu menção honrosa do júri. “O filme fala da situação de estar sozinho em um lugar que não tem a quem pedir ajuda, que é mais ou menos como estamos nos sentindo, pela falta dos familiares. O vídeo coloca essa questão dos relacionamentos online, que afloraram durante a pandemia e como isso nos afeta”, disse Ana Domitila Rosa, diretora e editora do vídeo.

Para José Renato Monteiro, curador Nacional da Mostra Ver Ciência e integrante do júri da SBPC, o fato das produções participantes terem sido todas produzidas de forma remota, sinaliza que a pandemia trouxe uma nova realidade para a divulgação científica. “Essas peças (vídeos) participantes já nos mostram que o processo de produção, realização e circulação já mudou. Tanto que vamos ter novas significações de conceitos, princípios e paradigmas. Entendo que isso vai influir no ensino, na pesquisa da ciência, tecnologia e inovação. Esses vídeos são um aviso de que a comunicação, divulgação, difusão e promoção da ciência deverá ser repensada.”

Marimélia Porcionatto, secretária regional da SBPC em São Paulo e membro do júri, ressaltou o papel importante de todos os 58 inscritos da Mostra. “É um momento histórico da SBPC e é relevante o papel que todos esses vídeos prestaram em levar o conhecimento às pessoas por meio dessa modalidade nova de vida que todos estamos vivendo”, declarou.

O diretor da SBPC, Paulo Hofmann, que também foi jurado do concurso, destacou a criatividade das produções e, especialmente, as preocupações com a inclusão, por meio do uso de libras, de legendas, de sons e imagens. “Considero que foi um sucesso essa mostra, tudo muito criativo, uma grande oportunidade de divulgar esses trabalhos. Tivemos um resultado muito positivo, que sensibilizou muitas pessoas”, concluiu.

Confira aqui a sessão especial dos vídeos vencedores selecionados pelo júri da SBPC.

Confira aqui a sessão especial dos vencedores que tiveram o maior número de curtidas pelos internautas.

Jornal da Ciência

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
SBPC - Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência