Notícia

Jornal Cidade (Rio Claro, SP) online

Prefeitura devolve prédio à Unesp para criar laboratório de bioenergia

Publicado em 25 agosto 2011

A Prefeitura de Rio Claro irá devolver o prédio da Rua 10, entre as Avenidas 28 e 30 no Alto do Santana, para a Unesp (Universidade Estadual Paulista). A universidade tinha transferido o imóvel ao município em setembro do ano passado, por meio de termo de cessão de uso com validade de dez anos prorrogáveis por mais dez.

Agora, o prédio será devolvido à universidade. O termo aditivo ao termo de cessão de uso será assinado nesta sexta-feira (26), às 17 horas, no anfiteatro do IGCE (Instituto de Geociências e Ciências Exatas) da Unesp, campus Bela Vista (Avenida 24-A, número 1.515).

A devolução do imóvel irá viabilizar a criação de um laboratório para o Instituto de Pesquisa em Bioenergia da Unesp (BIOEN). A solenidade para assinatura do documento deverá contar com a presença do professor doutor Júlio Cezar Durigan, reitor em exercício da Unesp; professora doutora Maria José Soares Mendes Giannini, pró-reitora de Pesquisa; do prefeito Du Altimari; membros do BIOEN; entre outras autoridades.

A construção do laboratório de bioenergia em Rio Claro foi anunciada em novembro do ano passado pelo então reitor Herman Jacobus Cornelis Voorwald, durante discurso de inauguração do Unespetro (Centro de Geociências Aplicadas ao Petróleo), em parceria com a Petrobras.

"A Unesp de Rio Claro terá um grande laboratório central, onde ficarão equipamentos, técnicos, pesquisadores e docentes envolvidos, além de sete laboratórios filiados com competência na área de bioenergia, disse Voorwald na época.

O convênio para a criação do Centro Paulista de Pesquisa em Bioenergia foi assinado em dezembro de 2009 pelo Governo do Estado de São Paulo, a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e as três universidades estaduais paulistas (Unesp, USP e Unicamp) com o objetivo de criar uma base científica para ampliar a competitividade da pesquisa paulista e brasileira em energia obtida de biomassa. A estimativa é que o investimento deve superar os R$ 150 milhões. Cada um dos atores envolvidos devem investir montantes equivalentes.

Pelo convênio, o Governo do Estado vai repassar R$ 18,4 milhões para as universidades paulistas para a construção de laboratórios, reformas e compra de equipamentos. As universidades ficarão responsáveis pela contratação de pesquisadores em diversas áreas da pesquisa em bioenergia.

Esses profissionais vão trabalhar em conjunto com os pesquisadores já atuantes neste campo nas três instituições, num esforço integrado. Já a Fapesp será responsável por selecionar e financiar os projetos em bioenergia vinculados ao centro, além de participar da coordenação de seu conselho superior, cuja sede será na fundação.

O laboratório de bioenergia irá funcionar nas proximidades da Fatec (Faculdade de Tecnologia) que será instalada em prédio anexo. Já nas dependências da Escola Chanceler, irá funcionar a Etec Bayeux que será transferida para o local.