Notícia

Cordero Virtual

Prefeito de Limeira discute novos cursos com reitor da Unicamp

Publicado em 31 agosto 2014

O prefeito Paulo Hadich e o reitor da Unicamp, José Tadeu Jorge, discutiram na manhã desta sexta-feira, 29 de agosto, em Campinas, a possibilidade da vinda de novos cursos de graduação a Limeira. Hadich pediu uma atenção especial à área das engenharias, principalmente a de alimentos, elétrica e civil. O setor de mecânica e manutenção é outro segmento que será estudado.

Também foi definida a implantação de um Museu da Nutrição na cidade, que será gerido pela própria Unicamp e proporcionará um trabalho preventivo e de conscientização com as crianças e adolescentes das escolas públicas e particulares (leia texto abaixo). Participaram da reunião os secretários de Serviços Públicos, Marcelo Coghi, e de Desenvolvimento, Turismo e Inovação, Wladimir dos Santos, o diretor do Cotil, Paulo Sérgio Saran, e o professor da Faculdade de Ciências Médicas, Lício Velloso.

Segundo o prefeito, a Unicamp possui um plano de expansão, por isso o pedido para que sejam enfocados cursos no campo das engenharias, atendendo à vocação do município dentro de um novo cenário econômico e de desenvolvimento que vem sendo formado com a vinda de empresas do setor automobilístico e aproveitando a força da indústria metal-mecânica da cidade.

"A vinda de montadoras à região abre possibilidades. A indústria local também está começando a se diversificar e o setor de alimentos vem se fortalecendo. Queremos construir os alicerces para um desenvolvimento a longo prazo e estamos construindo um processo para atrair mão de obra altamente qualificada", declarou.

Durante o encontro, Hadich expôs a importância da Unicamp para Limeira e citou os esforços do governo para impulsionar o município no caminho do desenvolvimento. Hoje há uma forte aproximação com as organizações civis e empresariais, foi criado o Comdes (Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social) e a cidade terá o IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo), uma unidade da Fatec (Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo) e um curso de Medicina. "Com a expansão dos cursos, tendo a marca e a qualidade da Unicamp, Limeira será uma cidade diferenciada no Estado, já que possui ainda uma localização privilegiada."

EXPANSÃO

O reitor da Unicamp disse que já há estudos para a implantação de novos cursos em Limeira e que a intenção é dobrar o número de vagas oferecidas atualmente no município. A FCA (Faculdade de Ciências Aplicadas) oferece 480 vagas para seis cursos de graduação (ciências do esporte, engenharia de manufatura, engenharia de produção, nutrição, administração e administração pública). "No que depender da Unicamp, queremos levar novos projetos para Limeira", afirmou.

Conforme o reitor, fazem parte do projeto cursos na área da saúde, como fisioterapia e terapia ocupacional; da cultura, com o curso de produção cultural; de arquitetura, com o curso de patrimônio e restauração, e de licenciatura em ciências.

"Vamos avaliar os cursos sugeridos e verificar a demanda. Pelo momento atual haveria viabilidade de um curso de engenharia civil e seria interessante para a cidade um curso na área de mecânica e automação e de engenharia de produção e manufatura. Mantemos uma Comissão Acadêmica para discussão de novos cursos e vamos estudar a proposta", declarou Jorge.

Limeira receberá Museu da Nutrição

A Unicamp implantará em Limeira um Museu da Nutrição, com o objetivo de levar à população e especialmente às crianças e adolescentes informações para uma alimentação sadia e mudanças de hábitos, prevenindo a ocorrência de doenças. O espaço que abrigará o museu será definido pela prefeitura.

O museu faz parte da proposta do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão - Obesity and Comorbidities Research Center (Cepid OCRC), encabeçado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e recém-criado na Unicamp. Ao todo, serão destinados ao projeto R$ 17 milhões nos primeiros cinco anos.

Segundo o coordenador geral do projeto, Lício Velloso, professor da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), como Limeira possui o curso de nutrição, os próprios alunos da graduação e da pós-graduação teriam participação direta na proposta. "Queremos envolver principalmente as escolas, levando as crianças e os adolescentes para aprenderem sobre as características dos alimentos e a melhor forma de se alimentar. Isso refletirá na redução de doenças que têm um custo grande no sistema de saúde e que são as que mais matam", declarou.

Entre as doenças ligadas a uma alimentação inadequada, estão obesidade, diabetes, hipertensão, problemas cardíacos, doenças renais, câncer e infecções.

A ideia é que o museu, que precisará de um espaço entre 150 e 200 metros quadrados, seja interativo, com laboratório para demonstrações. O modelo será semelhante do Museu Exploratório de Ciências, que fica na própria Unicamp, em Campinas.