Notícia

Jornal da Tarde

Precisa de dinheiro? Venda seu pontocom

Publicado em 13 abril 2000

Por André Bueno
Sobreviver na Internet brasileira não é tarefa fácil. As estatísticas da Fapesp revelam que há 214.940 domínios (endereços de Internet) cadastrados no Brasil, 92% dos quais com a terminação .com, o que indica que são sites de empresas ou com finalidade comercial. Esses números ilustram o quanto a Rede é competitiva. Só deverão sobreviver as empresas que tiverem forte apoio financeiro. Foi pensando nisso que o economista Ayrton Fontes criou o Vendosite (www.vendosite.com.br), serviço voltado para aqueles que querem "passar seus pontos virtuais" adiante, a empreendedores mais endinheirados, e também para os que buscam parcerias ou novos investidores para expandir os serviços. O Vendosite funciona como um catálogo de endereços: divide os sites por segmentos - comércio eletrônico, entretenimento, empregos, informática, leilões, etc. - para que o investidor procure no ramo de seu interesse. "Muitas vezes, o projeto que um empresário procura já existe na Rede. Em vez de recorrer a um adolescente para criar o site, ele pode procurar entre os já existentes, e que buscam parcerias, para fazer negócios", diz Fontes. Atualmente, há 2.300 sites cadastrados no Vendosite, mas apenas mil deles estão no ar. "Fazemos análise prévia de todos os endereços para barrar conteúdos pornográficos ou racistas", explica Fontes. O Vendosite oferece anúncios gratuitos aos donos de sites, mas cobra pela assinatura de uma newsletter quinzenal, com análises do potencial dos serviços em vários segmentos. Entre os anunciantes do Vendosite está o Catho (www.catho.com.br), um dos maiores serviços de emprego e currículos on-line. "Estamos crescendo 10% a 15% ao mês e por isso precisamos parceiros", diz Thomas Case, fundador da empresa. "Temos 15 mil currículos cadastrados e 20 mil vagas disponíveis. No mês passado, chegamos a 12 milhões de page views (páginas vistas) e 26 mil user sessions (conexões de usuários). Queremos investidores para ampliar os gastos em propaganda e lançar o site na Argentina, México, Colômbia, Venezuela e Chile." DOMÍNIOS SÃO LEILOADOS O site Marca Virtual realiza leilões para vender domínios - os endereços pelo qual as empresas são conhecidas na Internet. Na Rede, os sites não são os únicos produtos à venda. Desde fevereiro, está em funcionamento o Marca Virtual (www.marcavirtuaLcom.br), primeiro serviço de leilões de domínios brasileiros on-line. Domínios são a parte de todo endereço de um site que fica depois do www. Os domínios mais populares são aqueles que têm fácil memorização e estão relacionados a serviços específicos - como noticias.com.br, download.com.br ou esportes.com.br. Mas como a maioria desses domínios já foi registrada, as empresas precisam comprar o direito ao endereço de terceiros. Em muitos casos, as pessoas que realizaram o registro nunca lançaram sites. Só o fizeram para ganhar dinheiro no futuro com a venda do domínio. Atualmente, o site Marca Virtual possui cerca de mil domínios cadastrados e 600 leilões em andamento. Segundo Adriano César Machado Pereira, sócio-diretor do site, os leilões duram em média 30 dias, mas se quiser, o proprietário do domínio pode receber propostas por até 130 dias. É ele quem define o valor mínimo de lances e o "valor reservado" - que é a quantia mínima pela qual aceita vender o direito ao endereço. Segundo Pereira, já houve casos de endereços vendidos por um valor baixo: "O dono do intersolution.com.br vendeu por R$ 200, o dobro do que pagou pelo registro na Fapesp." Mas a maioria dos endereços é oferecida por um valor bem mais alto. "O domínio ouro.com.br chegou a receber proposta de R$ 50 mil, mas o dono recusou: ele quer no mínimo R$ 1,8 milhão." Outro endereço caro é avenidabrasil.com.br. Segundo Pereira, o proprietário pede no mínimo R$ 20 milhões. "Os brasileiros estão fazendo uma analogia com o que ocorre nos EUA, onde uma empresa pagou US$7,5 milhões pelo domínio business.com. Nossa realidade não é essa." Segundo Pereira, uma preocupação de seu site é checar cada domínio apresentado para ver se não é uma marca reconhecida, registrada por uma empresa. "Não queremos favorecer as pessoas que registram domínios conhecidos pensando em extorquir dinheiro dos outros no futuro." (A.B.)