Notícia

Cultura MS

'Prato feito' brasileiro tem tamanho exagerado e excesso de calorias

Publicado em 11 janeiro 2019

Por BBC Brasil

Os restaurantes brasileiros que vendem prato feito estão exagerando no tamanho das porções, e, consequentemente, na quantidade de calorias.

Essa é uma das conclusões da seção brasileira de um estudo internacional que analisou o valor calórico de refeições vendidas por restaurantes populares de seis países, publicada no British Medical Journal recentemente.

“A nossa conclusão é que precisamos prestar atenção na quantidade de alimento que ingerimos, não só no fast food, mas também em restaurante que serve refeição completa, o PF”, explica Vivian Suen, pesquisadora responsável pelo estudo no Brasil. A pesquisa contou com apoio da Fapesp.

O resultado de comer mais calorias que o necessário, diz Suen, pode ser ganho de peso e obesidade.

As análises mostraram que uma refeição brasileira, sem bebida e sobremesa, contém em torno de 1200 kcal — sendo que quatro opções analisadas tinham mais de 1600 kcal. O NHS, o serviço de saúde pública da Inglaterra, recomenda que um homem adulto ingira 2500 kcal por dia e uma mulher adulta 2000 kcal.

Assim, os PFs brasileiros têm cerca de metade da necessidade calórica diária de um homem adulto e 60% de uma mulher adulta.

“Se você comer 1200 kcal no almoço, 1200 kcal no jantar, além de café da manhã e outras refeições ao longo do dia, você vai ultrapassar as calorias recomendadas”, calcula Vivian.

Se for comer em um restaurante por quilo, capriche na quantidade de folhas verdes e salada, que aumentam a sensação de saciedade e têm poucas calorias, recomenda Suen — Foto: Unsplash

A pesquisadora ressalta, no entanto, que a quantidade de calorias recomendada varia de pessoa para pessoa, levando em conta seu estilo de vida, saúde, e mesmo o padrão das refeições ao longo do dia.

“Se a pessoa comer mais que o indicado no almoço, mas não estiver ganhando peso, está ok”, fala Suen.

Já para a média da população, a recomendação é pedir para os restaurantes diminuírem o tamanho das porções – principalmente a quantidade de arroz. Caso não seja possível, vale dividir o prato com outra pessoa ou mesmo embrulhar o restante e levar para casa.