Notícia

BN - Bahia Notícias

Prática de exercício físico intenso pode acelerar morte de células do sistema imunológico

Publicado em 11 maio 2016

A morte celular programada de células do sistema imunológico chamadas neutrófilos podem ser aceleradas com exercício físico intenso. A descoberta foi feita por cientistas que participaram do projeto "Efeitos da prática regular de atividade física na qualidade de vida, níveis de estresse e no sistema imune de adultos", realizado na Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul), em São Paulo. Chamado apoptose, o processo é importante para o equilíbrio do funcionamento do organismo, mas deve ocorrer de forma ordenada para evitar danos à saúde. "Várias células do nosso organismo estão morrendo agora para que outras novas ocupem seu lugar. Assim ocorre com os neutrófilos, que têm um tempo desejado na corrente sanguínea porque novas células do tipo estão continuamente sendo produzidas na medula óssea, em um processo fisiológico equilibrado que é prejudicado se a apoptose é diminuída", explicou Cristina Pithon Curi, professora do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Unicsul, à Agência Fapesp. Os neutrófilos são um subgrupo dos leucócitos, também chamados de glóbulos brancos, células encontradas no sangue cuja função é proteger o organismo contra agentes causadores de doenças, como bactérias. Quando há poucas dessas células o organismo fica mais sujeito a infecções – caso de um grupo de 12 triatletas que participaram da pesquisa. "A prática de exercício físico aeróbio acarreta um aumento da lipólise, processo de degradação de lipídeos em glicerol e ácidos graxos, que são utilizados em maior quantidade como fonte de energia. A presença em grande quantidade desses ácidos graxos, provocada pela exacerbação da lipólise, pode estar associada à apoptose precoce dos neutrófilos", afirmou Cristina.