Notícia

Portal do PPS

PPS lamenta morte do advogado e jurista Hélio Bicudo

Publicado em 31 julho 2018

O presidente do PPS, Roberto Freire, divulgou nota pública de pesar (veja abaixo) lamentando a morte do advogado e jurista Hélio Bicudo, aos 96 anos, nesta terça-feira (31), em São Paulo. Militante dos direitos humanos no Brasil, Bicudo foi um dos fundadores do PT (Partido dos Trabalhadores) e ajudou na elaboração do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

“Uma imensa perda para o Brasil

O Brasil perdeu, na manhã de hoje, aos 96 anos, um exemplar político e um dos seus mais brilhantes homens da Lei, o advogado e jurista Hélio Bicudo. Deixou sete filhos, além de netos e bisnetos, e estava viúvo, desde março passado, quando faleceu sua mulher, Déa. Uma de suas últimas atividades públicas foi participar das manifestações contra Dilma Rousseff, em São Paulo, e preparar, ao lado dos juristas Miguel Reale Jr. e Janaina Paschoal, em 2016, a peça que embasou o pedido de impeachment da então presidente, no Congresso Nacional.

Destacado professor da Faculdade de Direito, no Largo de São Francisco, onde havia se bacharelado, em 1946, Bicudo, após ocupar o cargo de promotor e procurador da Justiça, foi nomeado, em 1959, chefe da Casa Civil do Governo paulista, na gestão de Carvalho Pinto (1959-1963). No período, representou-o na comissão que elaborou os estatutos da Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (Fapesp). Em 1963, tornou-se ministro da Fazenda do governo do presidente João Goulart, de maneira interina.

Destaque-se que ele foi um importante militante dos direitos humanos, tendo se notabilizado pela investigação de atividades criminosas cometidas por policiais que compunham o chamado Esquadrão da Morte, que agia em São Paulo, no período da ditadura militar.

Em 1980, foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, tornando-se o 1º vice-presidente da seção paulista da agremiação. Em 1990, foi eleito deputado federal pela legenda do seu partido com 100 mil votos, tendo conquistado novo mandato em 1998. Nesse período, tivemos fraterna convivência. Como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, ele se tornou referência na luta contra a pena de morte no Brasil. De 2001 a 2005, tornou-se vice-prefeito de São Paulo na gestão de Marta Suplicy, então petista. O jurista anunciou sua desfiliação do PT em 2005, durante as investigações do caso conhecido como Mensalão, que envolveu as principais lideranças petistas.

Em meu nome pessoal, e em nome do Diretório Nacional do PPS, transmito aos seus familiares e amigos nossos mais sentidos e fraternos pêsames pela morte do nosso prezado Hélio Bicudo, exemplo maravilhoso de cidadão comum e de homem público.

São Paulo, 31 de julho de 2018.

Roberto Freire

Presidente do Partido Popular Socialista”