Notícia

Rio Preto News

Postura corporal do brasileiro deve ter novo padrão

Publicado em 24 maio 2006

Mais da metade do povo brasileiro pode ser "torto". Segundo uma pesquisa da Faculdade de Medicina da USP, que analisou a postura de 115 pessoas, 66% delas apresentaram uma inclinação para o lado direito do corpo. "Todo mundo é assimétrico, ou seja, apresenta diferença entre o alinhamento do lado direito e do lado esquerdo do corpo, por isso não podemos considerar a simetria total como padrão de normalidade", explica a fisioterapeuta Elizabeth Alves Ferreira.
Em seu estudo de doutorado, Elizabeth propõe um novo padrão de referência de postura para a população brasileira. Ela também participou da elaboração de um software livre e gratuito, de uso acadêmico e clínico, que auxilia na análise da postura, inclinação e equilíbrio dos pacientes.
Elizabeth defende a adoção de um novo padrão na definição do que é considerado desvio e respectiva a necessidade de tratamento. "Não podemos considerar que o normal seja um padrão alcançado apenas por um numero tão pequeno de pessoas", acredita a fisioterapeuta. Entre as pessoas analisadas, apenas 24% têm a altura exatamente igual para os dois lados do corpo.
A definição desse novo padrão pode indicar novas preocupações e atenção a pontos que poderiam passar despercebidos anteriormente. "A maior parte da população tem uma inclinação de ombro e de pelve para a direita, talvez isso indique que a inclinação à esquerda merece maior atenção por parte dos profissionais", exemplifica.
As pessoas analisadas no Laboratório de Biofísica da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP, eram consideradas saudáveis e tinham de 19 a 43 anos. Delas, 55% apresentaram uma inclinação à direita da bacia; 63,5% inclinação à direita da cabeça; e 67,8% inclinação do ombro à direita. "E essa inclinação à direita não tem relação com o fato de serem destros ou canhotos", explica a fisioterapeuta.

Software
Juntamente com uma equipe de físicos, Elizabeth trabalhou no desenvolvimento do Software para Avaliação Postural (Sapo), um programa livre e gratuito para auxiliar na análise da postura e equilíbrio do corpo. O software, que pode servir tanto ao meio clínico quanto ao acadêmico, pode ser acessado pelo site www.sapo.incubadora.fapesp.br. No endereço, links para artigos científicos da área, fóruns de discussão e um tutorial científico para auxiliar na utilização. "Trata-se de uma ferramenta que eu uso no consultório para tratar dos meus pacientes, e no laboratório para pesquisas relacionadas à postura", conta Elizabeth.
No Sapo há fotos e desenhos para facilitar a localização dos ossos que são usados como pontos de referências para a análise da postura. Para marcá-los o software sugere que sejam usadas bolinhas de isopor que são um recurso simples, de baixo custo, e de fácil aquisição. Embora qualquer pessoa possa baixar e utilizar o programa, a pesquisadora lembra que é necessário saber localizar corretamente os pontos de referência. Caso contrário, o diagnóstico pode ser prejudicado. Por isso o software tem como principal alvo profissionais da área de saúde como fisioterapeutas, médicos, educadores físicos e outros. Outro objetivo do projeto é gerar um banco de dados nacional sobre a postura da população brasileira. Essa base de dados será alimentada por meio do próprio software, por algumas pessoas cadastradas previamente. Pretende-se também criar uma padronização dos ângulos e medidas utilizados para as análises posturais, que hoje podem variar de acordo com o profissional. Apesar disso, o software permite que outros ângulos e medidas sejam analisados.