Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

POST 2010 Cientistas discutem implantação de medidas para conservação

Publicado em 09 dezembro 2010

O Programa Biota-Fapesp, a Academia Brasileira de Ciências (ABC) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) realizam de 11 a 15 de dezembro encontro de cientistas de oito países para discutir e estabelecer metas cientificamente embasadas de conservação da biodiversidade e mecanismos para monitorar sua efetiva implantação. A conferência internacional Getting Post 2010 - Biodiversity Targets Right reunirá em Bragança Paulista, interior de São Paulo, parte dos principais participantes da COP 10, encerrada em 29 de novembro, em Nagoya, Japão.

A conferência marca o encerramento do Ano Internacional da Biodiversidade e o início do Ano Internacional das Florestas. Pouco menos de um mês depois da conclusão da 10ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica, em que os países signatários assinaram acordo para conservação da biodiversidade e distribuição repartição justa e equitativa dos benefícios decorrentes do uso sustentável da biodiversidade, a conferência procura estabelecer mecanismos capazes de demonstrar cientificamente a variação das taxas de perda de diversidade ao lon go de 2011.

"É imperativo garantir não apenas a preservação de serviços ecossistêmicos que beneficiam o homem, mas também os processos que geram e mantêm a biodiversidade, cujo valor não pode ser medido monetariamente", destaca Carlos Joly, coordenador do Biota-Fapesp e professor titular do Instituto de Biologia da Unicamp.

Os organizadores da Conferência Getting Post 2010 - Biodiversity targets Right ressaltam que as metas para a biodiversidade 2010 no mundo e as metas brasileiras para a biodiversidade no ano não foram alcançadas, conforme ficou evidente durante a COP 10. "É fundamental e urgente que se estabeleçam novas metas, mensuráveis e cientificamente significativas, com medidas objetivas para comprometer governos em nível nacional, regional e global com uma proposta radical em relação a abordagens anteriores", completa o organizador da conferência de Bragança Paulista.

Outros pontos da pauta da Conferência Getting Post 2010 é a redução do tempo decorrido entre ações para ampliar a conservação ambiental e o efetivo impacto dessas medidas e o crescimento das taxas de perda da biodiversidade causado por mudanças no uso da terra, mudanças climáticas, poluição e presença de espécies invasoras desde a fixação de metas, em 2001.

Programação

A conferência será aberta por Ahmed Djoglaf, secretário geral da Convenção sobre a Diversidade Biológica, coordenador dos trabalhos da reunião de Nagoya. Maximiliano da Cunha Henriques Arienzo, subchefe da Divisão de Meio Ambiente do Itamaraty e principal negociador brasileiro em Nagoya, fará um relato da COP 10 e também do andamento da criação do Intergovernmental Platform on Biodiversity and Ecosystem Services (IPBES). A Mata Atlântica, a mais antiga e mais ameaçada das florestas brasileiras, estará no centro das discussões no último dia da reunião.

Alguns dos conferencistas convidados são Eduardo Morales Guillaumin (Conabio, México), Monica Vera (Fundação Humboldt, Colômbia), Francisco Antonio Squeo (Instituto de Ecologia e Biodiversidade, Chile), Alfred Püehler ( Universidade Biefeld, Alemanha), Jack Anthony Gilbert (Plymouth Marine, Reino Unido), Timothy Vogel (Universidade de Lyon, França), Rodolfo Dirzo (Stanford University, Estados Unidos) e Harold Mooney, presidente da Diversitas.

Entre os palestrantes do Brasil estão Antonio Mauro Saraiva (Universidade de São Paulo, USP), Marcelo Tabarelli (Universidade Federal de Pernambuco), Carlos Grelle (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Célio Haddad (Universidade Estadual Paulista), Eduardo Eizirik (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Geraldo Afonso Fernandes e Adriano Paglia (Universidade Federal de Minas Gerais), Philip Fearnside (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), Thomas Lewinsohn (Unicamp) e Miguel Calmon (Instituto BioAtlântica).