Notícia

Jornal Folha Noroeste

Posicionamento antiambiental do governo é tema de debate on-line

Publicado em 05 novembro 2020

Pesquisadores da USP discutem as estratégias do Governo Federal para a desconstrução da política ambiental brasileira

A Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP promove no dia 11 de novembro, quarta-feira, às 17h, o debate on-line Desconstruindo a Realidade - A Comunicação Ambiental do Governo Federal. Pedro Côrtes, professor da ECA e pesquisador na área de comunicação, informação e meio ambiente, conversa com a pesquisadora Gina Rizpah Besen e o jornalista e pesquisador Eduardo Geraque sobre a estratégia de comunicação utilizada pelo governo federal para desconstrução da política ambiental brasileira. O evento integra a série ECA Debate e terá transmissão ao vivo no canal da ECA no Youtube.

Já em abril, Pedro Cortês alertava para a intensificação das queimadas na Amazônia, observando o fortalecimento de grupos de grileiros na região, e os seus impactos nos incêndios no Pantanal, verificado nos meses seguintes. No campo internacional, a divulgação de informações falsas sobre a questão ambiental no Brasil é o fator causador de tensões internacionais sobre o tema, podendo ter impacto negativo em acordos comerciais firmados com a União Europeia e com os Estados Unidos, se confirmada a vitória de Joe Biden. Para o docente, “caso Joe Biden ganhe as próximas eleições isso vai determinar uma mudança na política externa brasileira e uma revisão das práticas ambientais”, disse em entrevista ao Jornal da USP.

Pedro Côrtes é pesquisador dos programas de pós-graduação em Ciência da Informação (ECA-USP) e Ciência Ambiental (IEE-USP). Gina Rizpah Besen e psicóloga, doutora em Saúde Ambiental pela Faculdade de Saúde Pública (FSP-USP) e pós-doutora pelo Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE-USP), onde é pesquisadora colaboradora do programa de pós graduação em Ciência Ambiental. Eduardo Geraque é jornalista e biólogo, mestre em Oceanografia e doutor em jornalismo ambiental (ambos pela USP), ex-repórter da Folha de S.Paulo, Gazeta Mercantil e Agência Fapesp.

ECA Debate é uma série de encontros semanais que reúnem pesquisadores e pesquisadoras da USP e especialistas de diversas áreas para refletir sobre os mais diferentes temas e os impactos da pandemia do novo coronavírus na sociedade, que extrapolam a saúde, e atingem as relações sociais, a cultura, as artes, a economia e a política. “Com esta série de eventos, nosso objetivo é promover conversas sobre temáticas tão determinantes para nossas relações e percepções do atual momento e sobre as profundas reverberações da Covid-19 em nosso cotidiano, além de compartilhar com a sociedade um pouco do que a ECA tem feito durante a pandemia”, explica o professor Eduardo Monteiro, diretor da ECA-USP.

Os encontros da série ECA Debate acontecem até dezembro, sempre às quartas-feiras, às 17h. Após a realização, todos os encontros ficarão disponíveis no canal da ECA no Youtube: https://www.youtube.com/ecauspoficial

Serviço:

ECA Debate – Desconstruindo a Realidade - A Comunicação Ambiental do Governo Federal

Data: 11 de novembro, quarta-feira

Horário: 17h

Transmissão ao vivo no Canal da ECA-USP no Youtube: https://www.youtube.com/ecauspoficial

Sobre a Escola de Comunicações e Artes da USP:

A Escola de Comunicações e Artes é uma instituição pública de ensino superior reconhecida pela excelência de sua produção acadêmica e artística e pela qualidade de seus cursos de graduação e pós-graduação. Pioneira na construção do pensamento comunicacional e artístico do Brasil, a ECA-USP tornou-se, nas últimas cinco décadas, uma escola de referência para todo o país e para a América Latina. Conta hoje com uma estrutura formada por oito departamentos, nas áreas de Artes Cênicas, Artes Plásticas, Cinema, Rádio e Televisão, Comunicações e Artes, Informação e Cultura, Jornalismo e Editoração, Música e Relações Públicas, Propaganda e Turismo, além de seis programas de pós-graduação stricto sensu, 11 cursos de especialização, inúmeros centros e núcleos de pesquisa e, ainda a Escola de Arte Dramática (EAD), dedicada à formação de atores.