Notícia

Agência C&T (MCTI)

Pós-doutor torna-se professor na França

Publicado em 01 novembro 2007

O pesquisador e professor Ronan Lebullenger, da Universidade de Rennes, na França, do Laboratório de Vidros' e Cerâmicas visitou o Grupo de Pesquisa Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos (CCMC) do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo para elaborar, junto com o coordenador de difusão do CCMC, professor Antonio Carlos Hernandes, um projeto de cooperação científica bilateral entre os dois países na área de materiais.

O pesquisador francês já morou no Brasil em 1995, onde permaneceu durante seis anos. Nos dois primeiros anos, contratado como pesquisador da Telebrás, através de um convênio com as Nações Unidas e colaborando com o professor Michel Aegerter Instituto de Física, no desenvolvimento de vidros especiais para amplifïcadores ópticos. Os outros quatro anos trabalhou como pesquisador financiado pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) no CCMC, onde desenvolveu seu pós-doutorado.

De acordo com Antonio Carlos Hernandes, durante seu pós-doutorado, Lebullenger foi o responsável por implementar a linha de pesquisa em vidros especiais dentro do Grupo. Juntos, os pesquisadores desenvolveram os vidros de esmeraldas.

Em 2000, o pesquisador voltou para a França e trabalhou dois anos na multinacional Alcatel e em setembro de 2006 foi contratado como professor de química dos materiais e vidros na Universidade de Rennes. Mesmo assim, não pretende passar muito tempo longe do Brasil, país que adotou como segunda pátria. "Assim que surgir uma oportunidade de vir como professor visitante ou através de convênio, estarei aqui. Se não surgirem essas oportunidades, me aposento e venho morar no Brasil", completou.

Em 2005 foi o ano do Brasil na França e Lebullenger participou da organização de várias manifestações artísticas de Associações e Ongs (Organizações Não-Governa mentais) na cidade de Rennes, mostrando quais os trabalhos científicos desenvolvidos dentro dos centros de pesquisas e provar do que o Brasil tem pesquisas alto nível. Entre setembro do próximo ano e julho de 2009, será o ano da França no Brasil.

O pesquisador quer aproveitar a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia re na primeira semana de outubro para divulgar as pesquisas realizadas no seu país natal. "Esse intercâmbio de informações e a difusão da ciência é muito importante para qual quer país", acrescentou.

O pesquisador veio ao Brasil também para participar de um Congresso Internacional de Vidros, que aconteceu semana passada em Aracaju — SE.