Notícia

TV Ciência (Portugal) online

Portugal e Estado de São Paulo reforçam cooperação científica

Publicado em 01 outubro 2013

Por Lucia Vinheiras Alves

Link para o vídeo: http://www.tvciencia.pt/tvcnot/pagnot/tvcnot02.asp?url=rtmp://video-fm.tvciencia.pt/vod/&video=n3334.mp4&tit=Portugal e Estado de São Paulo reforçam cooperação científica

Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), do Brasil, numa passagem de dois por Portugal, visita várias instituições de investigação científicas portuguesas.

No Instituto de Medicina Molecular (IMM), da Faculdade de Medicina, da Universidade de Lisboa, acompanhado por Nuno Crato, Ministro da Educação e Ciência e Leonor Parreira, Secretária de Estado da Ciência, Celso Lafer, Presidente da FAPESP, ficou a conhecer os projetos e áreas de especialidade deste Laboratório Associado português, assim como, os vários laboratórios e instalações que o compõem.

A visita a Portugal enquadra-se na necessidade de identificar projetos de excelência para futura cooperação científica.

«A Fundação que eu presido dedica-se o apoio à pesquisa e está voltada para uma internacionalização de qualidade e nesta viagem tivemos a oportunidade de ver a qualidade daquilo que se faz em Portugal, o que me dá ainda mais convicção da importância do estreitamento dos nossos laços e do nosso entendimento», afirmou Celso Lafer.

Um entendimento que se realiza num memorando assinado entre as duas fundações de apoio à investigação científica, a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), do lado de Portugal, e a FAPESP, do lado do Estado de são Paulo.

Nuno Crato explicou aos jornalistas que o memorando hoje assinado pretende reforçar a cooperação já existente, já que, disse o Ministro, «temos uma cooperação de longo tempo e agora vamos formalizá-la».

O Ministro da Educação e Ciência destacou que a presença de investigadores portugueses no Brasil e de investigadores brasileiros em Portugal é já uma realidade, e referiu que «o que queremos agora é ter um apoio institucional mais forte, um apoio que seja em cofinanciamento de projetos mútuos. É isso que nos interessa e por isso esta colaboração é muito importante».

No mesmo sentido, Celso Lafer, explicou que a viagem a Portugal «tem o objetivo de explorar o potencial de projetos de pesquisa mutuamente financiados com base na análise de pares e sustentado pelo trabalho conjunto por pesquisadores de São Paulo e de Portugal».

O memorando entre as duas Fundações não define as áreas científicas a receber apoio, mas Celso Lafer reconhece que existem áreas de grande interesse para a FAPESP.

«A Fundação apoia pesquisa de qualidade em todas as áreas do conhecimento, tanto pesquisa básica como pesquisa aplicada, mas olhando as percentagens dos nossos recursos, uma parte muito expressiva tem sido para a área da saúde, da biologia, razão pela qual estamos aqui (no IMM)», explicou o Presidente da FAPESP.

Celso Lafer acrescentou ainda que apesar disso, «estamos abertos e preocupados com todas as outras áreas» e lembrou a visita que fez ao Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, onde teve «a oportunidade de ver em Braga, o que se faz na área da nanotecnologia que é uma coisa de grande importância e de grande modernidade».

Para além da mobilidade de investigadores entre os dois países, Nuno Crato afirmou que o grande objetivo é acima de tudo a seleção de projetos de investigação de excelência.

«O que nós queremos com este protocolo e que queremos desenvolver mais no futuro é um apoio organizado aos projetos de excelência, fazer uma seleção de projetos que sejam realmente excelentes, que mereçam um destaque especial por parte dos nossos dois países e em que os dois países se empenhem com os recursos necessários», afirmou Nuno Crato.

«E falamos sempre em primeiro lugar dos recursos humanos», porque «temos grandes cientistas em Portugal, há grandes cientistas no Brasil e é essa colaboração entre esses grandes cientistas, evidentemente com recursos materiais que são necessários, que nos interessa neste momento», acrescentou o Ministro.

Uma colaboração que Leonor Parreira reconhece será sucedida, muito graças aos princípios que regem a fundação portuguesa e a fundação brasileira.

A FAPESP é «muito reputada internacionalmente pelo apoio que dá a ciência que é avaliada por pares, que é avaliada de forma independente, no apoio que faz a recursos humanos e é exatamente o que nós fazemos em Portugal», afirmou a Secretária de Estado da Ciência.

Leonor Parreira acrescentou ainda que esta «é uma base de cooperação de grande importância porque estamos a falar de princípios de qualidade selecionados pelos bons princípios que devem formar toda a seleção em ciência».

Celso Lafer, para além das visitas ao INL e ao IMM, tem ainda na agenda uma visita ao Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa.