Notícia

Jornal da Tarde

Pomar debate efeitos da poluição

Publicado em 10 março 2003

Espanhóis, japoneses e brasileiros vindos de todas as partes do País irão se reunir nesta semana para discutir uma pesquisa feita pelo Instituto de Botânica em parceria com o Projeto Pomar, iniciativa do Jornal da Tarde. O simpósio "Pau-Brasil - Ciência ou Arte" - que ocorre de quarta a sexta, no auditório da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) -, mostrará a centenas de pesquisadores os efeitos da poluição na árvore símbolo do Brasil. O trabalho de pesquisa foi feito na sede do Projeto Pomar, à beira do Rio Pinheiros. "É bom que as pessoas vejam que o Pomar não é apenas um grande jardim, mas também um grande laboratório para pesquisas científicas", diz a coordenadora do projeto. Helena Carrascosa. "Esse Projeto Pomar que ninguém vê é tão importante quanto o Pomar que todo mundo admira nas marginais." A pesquisa do pau-brasil feita nos bosques do Projeto Pomar (uma iniciativa do JT) começou em fevereiro do ano passado. Ela foi dividida em três módulos. O primeiro estudou a variabilidade genética e formas de multiplicação da espécie Nessa fase, os pesquisadores também diagnosticaram a adaptação do pau-brasil ao ambiente urbano. No segundo módulo, os estudos foram concentrados em obtenção de sementes, formas de germinação e conservação, criação de mudas, bancos de sementes e efeitos ambientais sobre a espécie jovem. A terceira fase avaliou em diversos locais o potencial de adaptabilidade da espécie. Nesta semana, as visitas ao Projeto Pomar também irão recomeçar. As escolas interessadas devem ligar para 0xx11-5892-2655.