Notícia

Jornal do Brasil

Poluição muda sexo de caranguejo ermitão

Publicado em 22 novembro 2009

Por Júlia Faria

A poluição da água pode levar à mudança de sexo no caranguejo ermitão. Pesquisadores suspeitam que esse processo seja resultado da influência do TBT (o composto tributilestanho), presente na composição das tintas que revestem o casco de navios e contaminam os estuários onde vivem os ermitões.

A possibilidade vem sendo investigada pelo biólogo Bruno Sampaio Sant'Anna durante tese de doutorado desenvolvida na Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Rio Claro. Segundo Sant"Anna, as chances de o TBT causar mudança de sexo no caranguejo ermitão são altas.

- Já sabemos que o poluente age como alterador hormonal em outras espécies. Por isso, testamos a hipótese de que ele também cause mudança de sexo nos ermitões - explica.

A suspeita ganha força diante de estudos anteriores, que verificaram que a substância é responsável por um efeito de imposição sexual em moluscos que vivem nos arredores de estuários. O poluente induz a produção de hormônio masculino, o que leva as fêmeas a desenvolverem características sexuais masculinas.

Além disso, 2% a 8%, em média, da população de caranguejos ermitões contaminada por TBT apresentam os dois sexos.

Ermitões contaminados

O estudo, realizado com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), já mapeou e analisou 19 populações de ermitões contaminados pelo TBT. De acordo com a avaliação em laboratório, o animal absorve a substância pela alimentação, o que indica também a contaminação do ecossistema em que vive.

A pesquisa comprovou ainda que, se colocado em águas limpas, o caranguejo ermitão precisa apenas de 30 dias, aproximadamente, para expelir todo o TBT de seu organismo.

O poluente pode causar má formação em ostras, além de aumentar a mortalidade em outros organismos marinhos. Devido a esses impactos, a Organização Marítima Internacional, instituição da Organização das Nações Unidas (ONU), é contrária ao uso da substância. Países como a França e o Japão já baniram a venda da tinta com TBT, mas, no Brasil, o produto ainda pode ser encontrado.