Notícia

Cosmo

Pólo de tecnologia terá investimento do Estado

Publicado em 07 julho 2007

Por Adriana Leite

O governador do Estado de São Paulo, José Serra (PSDB), quer o avanço do desenvolvimento do Parque Tecnológico de Campinas. Ontem, em reunião entre o secretário estadual de Desenvolvimento e vice-governador, Alberto Goldman, e o prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos (PDT), o Estado se colocou a disposição da municipalidade para ações que fomentem o crescimento do parque.

"A ação principal é da Prefeitura de Campinas, mas o Estado tem o papel de auxiliar na implementação do parque", disse Goldman. O secretário citou que na esfera estadual há formas de captação de recursos para apoio às empresas de base tecnológica por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

O Estado também está em fase de estruturação de uma agência de fomento para o setor de tecnologia. "Esse aparato é uma questão de infra-estrutura. O nosso objetivo é mostrar que somos parceiros", afirmou o secretário.

Goldman lembrou que há um decreto em vigor que determina a constituição de cinco parques tecnológicos no Estado: São Paulo, Campinas, São José dos Campos, São Carlos e Ribeirão Preto. "A área com maior vocação e que já estruturou um parque é Campinas. Em São Paulo, as iniciativas estão muito espalhadas. Os outros parques têm situações pontuais que estão sendo trabalhadas", comentou. Goldman salientou que a conversa com Hélio sobre o parque foi um pedido do governador José Serra.

O prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) garantiu que o governo municipal está empenhado em ocupar a área do parque tecnológico com empresas de ponta. "O parque tecnológico de Campinas já é uma realidade. Nos últimos dois anos, várias novas empresas se instalaram na área como a Natura, o Instituto de Pesquisa Eldorado, Tata, o Centro de Pesquisas Avançadas Wernher von Braun e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologia da Informação do Exército", enumerou


Plano diretor

O prefeito afirmou que a parceria com o Estado vem agregar valor e impulsionar a ocupação do espaço do parque. "O trabalho conjunto vai alavancar a complementação do parque. Sem esquecer que já está garantida a proteção ao Parque Ambiental do Anhumas. O parque tecnológico será ocupado essencialmente por empresas de cunho tecnológico", explicou Hélio. O prefeito lembrou que os parques nasceram a partir de um projeto estruturado pelo físico e professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Rogério Cézar de Cerqueira Leite.

O novo Plano Diretor de Campinas, aprovado pela Câmara Municipal no ano passado, estipulou um aumento no tamanho do Pólo Ciatec II: o local passou de 7 milhões de metros quadrados para 7,9 milhões de metros quadrados. A gleba agora chega até a Rodovia D. Pedro I. A intenção da Prefeitura é basear nessa nova área atividades de bens e serviços. A assessoria de imprensa da Prefeitura, informou que o Pólo de Tecnologia I tem três empresas instaladas. Já o Pólo II conta com 14 empresas no local e mais quatro em construção. Já a Companhia de Desenvolvimento da Alta Tecnologia de Campinas (Ciatec) tem 23 empresas incubadas