Notícia

Jornal de Piracicaba

Plataforma eletrônica permite que agricultores aluguem colmeias

Publicado em 29 setembro 2020

Por Eduardo Geraque | Pesquisa para Inovação

Uma plataforma eletrônica que coloca em contato criadores de abelhas com agricultores interessados em alugar colmeias dos insetos polinizadores para aumentar a produção no campo, desenvolvida pela startup Agro bee, tem permitido que produtores de café registrem um aumento médio de 17% pelo uso do serviço durante as semanas da florada. Os técnicos da empresa, apoiada pelo Programa Pipe (Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas), da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), constataram a partir de uma análise em 20 talhões diferentes de café onde as colmeias foram instaladas que a produção média por hectare das propriedades teve um aumento na safra de 8,8 sacas, o que representa uma economia média de R$ 3.960 por hectare ao proprietário rural. Esses resultados positivos demonstrados no campo pela Agro bee passaram a chamar a atenção de investidores. No início de julho, a empresa fechou um acordo com o clube de investimentosA groven, adminis e Shutter stock `` 97 4 Sistema desenvolvido por startup coloca em contato apicultores e produtores interessados em aumentar produção no campo trado por famílias do agronegócio interessadas em promover o desenvolvimento tecnológico do setor. O aporte de recursos possibilitará à empresa escalonar o projeto. “ O aporte permitirá o desenvolvimento de novas ferramentas do aplicativo ”, explica a pesquisadora Andres a Berretta, uma das sócias da empresa, ao boletim Pesquisa para Inovação, da Fapesp.

FERRAMENTAS Uma das novas ferramentas possibilitará que os técnicos da Agro bee avaliem a qualidade das colmeias que serão alugadas por meio de fotografias enviadas por um celular pelos produtores. Hoje, isso é feito presencialmente, o que gera custo e perda de velocidade na liberação dos insetos. “ Nossa ideia com essa nova ferramenta é poder ampliar os serviços para todo o Brasil ”, diz a pesquisadora. Outra possibilidade trazida pelo investimento é fazer com que os melhores criadores de abelhas catalogados no aplicativo tenham condições de multiplicar suas próprias colmeias, o que vai gerar um serviço ainda mais produtivo para quem alugar as caixas. “ Nos Estados Unidos, é comum carretas inteiras carregarem as colmeias. Aqui ainda não temos essa possibilidade. Por isso, essa assistência aos criadores será importante para aprimorar toda a cadeia apícola nacional ”, afirma Berretta.

Além do café, que com a presença das abelhas no campo registra aumento de produção e grãos mais doces, a expectativa dos empresários é que outras lavouras também passem a fazer parte do dia a dia dos negócios da empresa. “ Nos próximos dois anos, temos a intenção de conectar os apicultores com produtores de soja, laranja, morango e girassol ”, diz a empresária. Os testes iniciais feitos com a cultura do morango também revelam um caminho promissor. Neste tipo de lavoura, a equipe da empresa constatou que a presença das abelhas aumentou em 12,7% o peso médio dos frutos e em 19,2% o seu dulçor. Outro ponto importante em relação aos morangos é que, sem os insetos, a deformação do produto é muito alta (76,6%). Com a polinização, esse índice regrediu para 23,4%, o que aumenta o valor de venda para o produtor.