Notícia

Eldorado FM (Vila Rica, MT)

Plataforma digital para pecuarista identifica melhor momento para vender bovinos

Publicado em 21 julho 2018

A @Tech, startup de Piracicaba (SP), criou uma tecnologia que ajuda pecuaristas a identificar o melhor momento para vender bovinos e, assim, aumentar seu lucro. Para isso, a plataforma Beeftrader usa sensores e outros dispositivos para monitorar cada animal e cruza os dados individuais com informações de mercado e da propriedade.

As informações individuais são o peso, o consumo hídrico e de alimentos e as características físicas do animal, como a robustez. As de mercado são a variação do preço da arroba, tanto no mercado spot quanto em transações futuras. Os dados da fazenda são o valor e a composição da dieta oferecida aos animais.

Segundo o diretor e idealizador da @Tech, Tiago Zanetti, além de calcular a curva de lucro potencial, a Beeftrader identifica os melhores compradores. “A plataforma capta os valores que o mercado está pagando - não só o preço fixo, mas o preço futuro -, maximizando o ganho do produtor”, diz.

A @Tech cobra uma taxa sobre cada animal monitorado. Atualmente, a empresa monitora cerca de dois mil bovinos, distribuídos nos Estados do Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e Mato Grosso. A projeção é chegar a 100 mil cabeças monitoradas até 2019.

Zanetti não revela o faturamento atual da startup, mas diz que, com a expansão da plataforma para outros Estados e para o mercado externo, a tendência é aumentar a cifra. Em 2019, a empresa pretende levar a Beeftrader para os Estados Unidos e a Austrália.

Para obter as informações do rebanho, a empresa distribui sensores que coletam imagens dentro das áreas de confinamento. Nessas imagens é possível identificar cada animal. Além disso, a startup instala uma balança no local onde os bovinos têm acesso aos recipientes de ração e água. Desse modo, sempre que precisarem se alimentar, eles têm que subir na balança, tornando possível a captação dos dados.

Com isso é possível identificar quais animais estão dando prejuízo, sem ganho de peso, e quais estão com potencial de engorda e crescimento, podendo ser vendidos por preços mais altos.

O produtor consegue acessar a plataforma por meio da web, em um computador, ou em um aplicativo em dispositivos móveis.

Incubada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), a startup lançou a tecnologia em 2015. Desde sua fundação, no mesmo ano, a empresa recebeu alguns investimentos, entre eles um da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Os valores não foram divulgados.