Notícia

Central das Notícias

Plataforma criada na USP São Carlos agiliza diagnósticos de Covid-19

Publicado em 21 junho 2020

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos (SP) desenvolveram uma plataforma digital que utiliza dados de pacientes para criar indicadores e auxiliar na tomada de decisão dos médicos no combate ao novo coronavírus.

Apenas com dados de um hemograma, o exame de sangue comum, e o uso da inteligência artificial o sistema Diagonow consegue ajudar os hospitais a agilizar o processo de diagnóstico da covid-19, além de ser mais barato.

Hoje, o protocolo para a verificação do novo coronavírus funciona assim: o pacientes com sintomas passa por uma triagem e vai para uma consulta. Dependendo da avaliação do médico, o paciente é liberado ou internado. Em muitas cidades, só neste último caso os pacientes realizam o teste para saber se tem ou não a doença.

Agilidade e melhorias

André Carvalho, professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC-USP) e pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas a Industria (CeMEAI-USP), explica que neste cenário de pandemia do novo coronavírus, tempo é uma coisa que o sistema de saúde não tem.

"Cada segundo, minuto, dia, é uma vida que você consegue salvar, então a gente tem que ter uma solução rápida para que já possa ser utilizada na prática", disse.

Com essa nova ferramenta, o médico pode pedir o exame de sangue. As informações do hemograma são colocadas no programa e o sistema leva menos de 1 segundo para fazer o diagnóstico.

Durante as etapas da análise, o Diagonow oferece gráficos detalhados, que mostram os dados levados em conta pelo modelo.

O estudante de Engenharia de Computação da USP, Vinícius Molina Garcia explica que isso pode dar mais ferramentas para o relatório médico.

"O intuito da plataforma não é substituir a atuação do médico, a gente atua com uma ferramenta para ajudá-lo na tomada de decisão. O diagnóstico se torna muito mais ágil e preciso quando o médico tem mais informações para decidir e é exatamente esse o intuito da ferramenta", disse.

Processamento de amostra e exame de sangue Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Resultados satisfatórios

Os resultados já são muito satisfatórios. A plataforma consegue informar, com até 95% de precisão, os casos negativos da doença.

Quando a ferramenta aponta positivo, a precisão é de 67%. Nesses casos, o possível infectado segue sendo avaliado nas partes seguintes do processo, como comenta Vinícius.

"Quando a plataforma apresenta um resultado negativo, ele pode ter muita tranquilidade para enviar o paciente para casa, porque a cada 100 que passam, 95 são negativos e só 5 são falso-negativos. Já no positivo, a precisão não é tão alta quanto dos negativos, mas fornece uma margem para o médico investigar mais esses casos", explicou.

Economia

O programa criado pelos pesquisadores também traz economia de recursos. Segundo o DataSUS, um exame de sangue custa R$ 4,10 aos cofres públicos.

O Diagonow já está disponível para os hospitais que queiram usar de graça a plataforma. Além disso, futuramente, a plataforma também poderá ser usada em outros diagnósticos.

"Essa mesma tecnologia que é utilizada para encontrar padrões da covid-19 pode ser treinada também para encontrar padrões de outras doenças e auxiliar em toda questão de diagnóstico que um hospital enfrenta hoje. Além disso, a plataforma também pretende atuar na área da triagem e no monitoramento de pacientes internados", comentou o estudante.

O hospital que tiver interesse precisa entrar em contato pelo site diagonow.com. A pesquisa foi realizada em parceria com as universidades federais do ABC e da Bahia e contou com o apoio da Fapesp.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
A Cidade On (São Carlos, SP)