Notícia

Reuters Brasil

Plano prevê investimento de R$1,5 bi em ciência em 2007

Publicado em 03 setembro 2007

O secretário executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antônio Rodrigues Elias, afirmou durante fórum nacional que os recursos destinados à ciência, tecnologia e inovação no país têm aumentado, e devem somar este ano 1,5 bilhão de reais, ante 1,1 bilhão de reais em 2006.

Em anuncio feito durante o Fórum Nacional do Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti) e do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap), realizado no final da semana passada em Jaboatão dos Guararapes (PE), Elias afirmou que o plano do governo envolve áreas prioritárias como Amazônia e biocombustíveis.

"(O plano) dá a devida relevância à divulgação de ciência e tecnologia, à melhoria do ensino de ciências e a atividades para inclusão social, com ênfase no desenvolvimento regional", afirmou o secretário, segundo informações divulgadas nesta segunda-feira pela Agência Fapesp.

O secretário informou que o "Plano de Ações da Ciência, Tecnologia e Inovação 2007-2010 dará um sentido de governança ao crescimento dos recursos que devem ser aplicados na área, nos próximos anos".

Segundo Elias, o governo tem como prioridades estratégicas a expansão e consolidação do sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação, a promoção da inovação tecnológica nas empresas; pesquisa e desenvolvimento em áreas estratégicas e ciência e tecnologia para o desenvolvimento social.

Elias ressaltou que o plano abrange "toda a extensa gama de atividades de ciência, tecnologia e inovação no Brasil", apoiando a formação de recursos humanos e a pesquisa básica e aplicada.

"O plano prevê um vasto leque de instrumentos e iniciativas para incentivar a criação de empresas de tecnologia, a internalização de atividades de inovação nas empresas e forte ampliação do papel dos institutos tecnológicos no apoio às empresas, o que corresponde a um verdadeiro PAC da inovação nas empresas", disse o secretário segundo a agência.