Notícia

Administradores

Petrobras tem milésima patente

Publicado em 07 agosto 2007

Agência FAPESP — A Petrobras recebeu uma placa do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), em homenagem pela milésima patente da empresa. A entrega ocorreu na abertura do 10º Encontro da Rede de Propriedade Intelectual, Cooperação, Negociação e Comercialização de Tecnologia (Repict), na quarta-feira (1º/8), no Rio de Janeiro.

A milésima patente trata de uma inovação no processo de fabricação de álcool a partir de rejeitos vegetais, identificada no Centro de Pesquisa da Petrobras (Cenpes). Segundo a empresa, o processo de produção de álcool de lignocelulose permite o aproveitamento do bagaço de cana-de-açúcar para a fabricação do combustível, elevando o rendimento da cana por hectare plantado, além de ser uma energia renovável.

A Petrobras realiza em média 80 depósitos de patentes por ano. Entre 2004 e 2006, o trabalho dos pesquisadores do Cenpes resultou em 48 novas patentes no Brasil e 179 em outros países. Cerca de 500 novos projetos de pesquisa e desenvolvimento estão em andamento.

Como resultado das pesquisas realizadas, a Petrobras domina atualmente diversas tecnologias, fazendo dela a maior empresa brasileira e a sétima companhia petrolífera do mundo, segundo a publicação Petroleum Intelligence Weekly.

Com mais de 1,8 mil empregados distribuídos em uma área de 122 mil metros quadrados, o Cenpes conta com 30 unidades-piloto e 137 laboratórios que atendem aos órgãos da Petrobras. Dos pesquisadores do centro, 30% têm graus de mestre e de doutor.

Atualmente, a estratégia de desenvolvimento tecnológico da Petrobras aponta para quatro prioridades do Cenpes: aumento da capacitação tecnológica para a produção em águas profundas e ultra profundas; aumento da recuperação de petróleo das jazidas já descobertas; novas tecnologias de refino para adequar a produção de derivados tanto aos petróleos disponíveis no país quanto às características de seu consumo; e tecnologias de novas fontes de energias.