Notícia

O Imparcial (Presidente Prudente, SP)

Pesquisas entram na fase final do Projeto Genoma da Cana

Publicado em 14 dezembro 2000

Um ano antes do prazo previsto e custanto a metade dos US$ 8 milhões aprovados pela FAPESP há um ano e meio, o projeto já reúne informações para se produzir, daqui a dois anos, pelo menos em laboratório, uma planta mais produtiva, resistente a pragas e doenças, tolerante à seca e a herbicidas e eficiente na absorção de nutrientes aponto de sobreviver mais facilmente em solos ácidos e pouco férteis. Os resultados do projeto também permitem planos mais ousados. A cana-de-açúcar poderá ser utilizada como biorreator, capaz de produzir não apenas açúcar e álcool, mas compostos químicos de interesse ? para a indústria farmacêutica, além de abrir duas novas vertentes: a pesquisa aplicada em busca de novas variedades de cana e estudos básicos para a compreensão mais aprofundada dos mecanismos biológicos da planta. As pesquisas também passam a contar com a participação de produtores de açúcar e álcool para identificar problemas específicos e trabalhar com o melhoramento, genético e buscam novos parceiros que possam financiar uma parte das pesquisas nessa nova fase. MAIS DUAS BACTÉRIAS Os pesquisadores da Rede ONSA (Organização para Seqüenciamento e Análise de Nucleotídeos) participantes do projeto Genomas Ambientais e Agronômicos já estão trabalhando em mais dois projetos. A convite do Joint Genome Institute (JGI), consórcio de laboratórios americanos com sede em Walnut Creek, na Califórnia, os membros da rede virtual de laboratórios de pesquisa genômica criada pela FAPESP - os primeiros do mundo a decifrar o genoma completo de uma variedade da Xylella fastidiosa — irão, agora colaborar na tarefa de desvendar o DNA de outras duas cepas da bactéria a que ataca a amendoeira e a que se instala numa planta ornamental conhecida como espirradeira ou oleantro (Nerium oleander). Pelo acordo com o JGI, caberá aos brasileiros o trabalho de anotar o genoma, ou seja, identificar, entre os milhões de "letras químicas" (ou pares de base) do genoma as funções dos genes dessas duas variantes da Xylella, cujo seqüenciamento está sendo feito pelos próprios pesquisadores do JGI. O acordo com os detalhes finais da parceria, que não envolve valores monetários, apenas a troca de conhecimento e de esforços, será discutido ainda este mês em Davis, Califórnia. Falta definir se, além da anotação, os pesquisadores brasileiros também farão o seqüenciamento de 5% de material, genético ainda não mapeado pelos norte-americanos. O projeto Genomas Ambientais e Agronômicos da FAPESP realiza atualmente o Seqüenciamento genético da Leifsonia xyli, que ataca os talos da cana-de-açúcar e o seqüenciamento e a anotação do genoma de uma variante da Xylella que destrói videiras da Califórnia.