Notícia

A Folha (São Carlos, SP)

Pesquisas brasileiras em eletrônica orgânica recebem prêmios no Brasil e no exterior

Publicado em 26 outubro 2011

Que a eletrônica orgânica é uma alternativa real para a produção de energia agora e no futuro está comprovado, mas daí a conseguir investimentos para a realização efetiva de pesquisas que coloquem o Brasil na ponteira desse desenvolvimento é uma outra história. Mesmo assim pesquisadores do Instituto Nacional de Eletrônica Orgânica - INEO, coordenado pelo professor do Instituto de Física - IF USP de São Carlos, Roberto de Mendonça Faria e composto por 42 profissionais de 9 estados distribuídos em quatro regiões brasileiras, conseguiram destaques em eventos científicos realizados em 2011 no Brasil e no mundo.

É o caso do então aluno de doutorado do IFSC e atualmente pós-doutorando na Universidade de Darmstadt, na Alemanha, Gregório Couto Faria que, em agosto deste ano, recebeu durante International Symposium on Electrets, realizado na França, o prêmio "Dilip Das-Gupta Awards" destinado a jovens cientistas. O trabalho que foi premiado foi assunto da tese de Faria e é resultado das pesquisas com diferentes fenômenos de transporte de portadores de carga em polímeros, ou seja, a capacidade maior ou menor de um material na condução dos estímulos elétricos. "Eu comecei a trabalhar com eletrônica orgânica desde o início da minha iniciação científica", conta o pós-doutorando. Quando perguntado sobre a importância do INEO para a realização das pesquisas que o levaram a receber esse prêmio internacional, Faria é enfático: "a maior fonte de financiamento para compra de equipamento, de materiais e, especialmente, a troca de experiências entre pesquisadores vem do INEO, por isso, projetos em rede como esse, são extremamente importantes para a disseminação e avanço da ciência no Brasil", ressalta.

Mais Destaques

O aluno de iniciação científica Bruno Fontes começou muito bem sua carreira na área de pesquisa. Em um congresso organizado pela Universidade Federal do Paraná - UFPR em parceria com o Conselho Nacional para Desenvolvimento da Científico e Tecnológico - CNPq, recebeu o primeiro lugar entre as pesquisas realizadas na área de polímeros com o trabalho "Síntese, caracterização e propriedades fotofísicas de um copolímero contendo unidades fluoreno-fenileno-vinileno" . Esse prêmio foi um incentivo a mais na carreira recém iniciada de Fontes que garante que " o prêmio foi simbólico, mas o que importa mesmo é o certificado de primeiro lugar para conseguir uma bolsa de mestrado pela Universidade", afirma.

Já a Universidade de São Paulo concedeu à Felippe Pavinatto, durante seu doutoramento, a menção honrosa do prêmio Tese Destaque USP 2011 pelo trabalho realizado junto ao Instituto de Física do campus da universidade em São Carlos. O tema pesquisado foi filmes finos nanoestruturados como modelos de membrana celular. O polímero ou filme fino utilizado é a quitosana que tem várias aplicações biológicas, inclusive na produção de medicamentos. Pavinatto conta que o prêmio pode ter sido motivado pelo fato de sua pesquisa ser de caráter multidisciplinar envolvendo conhecimentos nas áreas de química, física e biologia. "Além disso conquistamos uma expressiva produção científica com quatro artigos científicos e uma patente, inclusive um dos trabalhos publicados na revista internacional Biomacromolecules, um das mais importantes nessa área, está na lista dos 10 trabalhos mais acessados", pontua.

Por falar em publicação, outro trabalho desenvolvido por pesquisadores do INEO e que será capa da revista "Photochemical & Photobiological Sciences, da Royal Society of Chemistry é a tese de doutorado de Luiz Carlos Pimentel, aluno do Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp. Orientado pela professora Ana Flávia Nogueira, co-orientado pelo professor do IFSC - USP, Valtencir Zucolotto com colaboração da professora do IQ- Unicamp, Teresa Atvars, o trabalho foi destacado pela publicação por tratar da fabricação de células solares orgânicas e híbridas de baixo custo. Segundo Nogueira, o trabalho mereceu esse destaque porque é bastante completo e conclui " ter nosso trabalho na capa de um periódico conceituado nos dará visibilidade e também credibilidade para todos os outros projetos em andamento".

Conjunto da obra

A Associação Brasileira de Polímeros - ABPol na sessão de abertura do 11o. Congresso Brasileiro de Polímeros, realizado em Campos de Jordão, de 16 a 20 de outubro, concedeu a pesquisadora Leni Akcelrud, do Laboratório de Polímeros Paulo Scarpa - LaPPS da Universidade Federal do Paraná - UFPR, prêmio em reconhecimento às pesquisas realizadas e às contribuições dadas para a ciência dos polímeros durante toda a carreira profissional. Segundo a premiada, como o prêmio leva em conta toda a atuação profissional, é incontável o número de pessoas que contribuíram para essa conquista. "Mas o envolvimento maior é, sem dúvida, dos meus alunos e ex-alunos, sem os quais nada teria sido possível", afirma.

Leni Akcelrud ressalta também o trabalho realizado pelo INEO. "Foi fundamental no estabelecimento, desenvolvimento e consolidação do LaPPs. Eu me considero uma sócia fundadora do INEO, sem o qual o sucesso atingido até o momento, com mais de 50 estruturas poliméricas desenvolvidas, teria sido impraticável", confessa.

Em paralelo, a homenageada pela ABPol recebeu mais uma demonstração do reconhecimento por seu trabalho, já que as pesquisas desenvolvidas por ela tiveram mais de 400 citações contabilizadas pela Revista Pesquisa Fapesp. "É um dos 20 mais citados em todas as modalidades de pesquisa no Brasil e na área de química está entre 3 pesquisadores destacados" Diante desse reconhecimento, Leni Akcelrud insiste em dizer que não merece tamanho destaque. Mas para quem acompanha as pesquisas em eletrônica orgânica no Brasil, a única coisa a responder para essa aplicada e determinada pesquisadora é que: você merece sim!

2º Seminário do Ciência Web começa hoje

Começa nesta quarta-feira (26), o 2o. Seminário do Ciência Web - Desafios da Comunicação Científica. A palestra de abertura será dada pela diretora de redação da Revista Pesquisa Fapesp, Mariluce Moura. A jornalista irá fazer uma "Contextualização da Comunicação Científica no Brasil", com o objetivo de situar o público com relação a atual situação desse segmento e os grandes desafios que essa comunicação tem para os próximos anos. O evento é gratuito e as inscrições estão abertas abertas através do site www.cienciaweb.com.br

Outro destaque do evento será o Grupo Ciência em Show do SBT, que fará parte da mesa-redonda "Experiências positivas da comunicação científica", que será realizada no dia 27, a partir das 9 horas. Essa mesa-redonda contará também com as participações do diretor do Centro de Divulgação Científica e Cultural - CDCC, Aprígio Curvelo e do professor do Departamento de Física da UFSCar e coordenador do portal de divulgação da Sociedade Brasileira de Física, Nelson Studart. Ao final dessa mesa-redonda, o grupo Ciência em Show fará uma apresentação de alguns dos experimentos que levaram os três cientistas e apresentadores à serem conhecidos pelo grande público.

Na sequencia, a partir das 14horas, o seminário terá ainda a mesa-redonda " Desafios da Comunicação Científica", com a participação da jornalista e chefe de redação do Jornal da Cultura, Marília Assef; do professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação, Fernando Osório; e do professor de Física das redes pública e privada de Ensino Médio, Marco Aurélio Pillegi. Além disso, às 16h30, o evento abrirá espaço para a discussão da "Influência das novas tecnologias na comunicação", com a palestra da professora do Departamento de Ciências da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais, Mirella Moura Moro e uma apresentação do jogo virtual Ludo Químico - Uma alternativa para o Ensino, com o diretor do Centro Multidisciplinar de Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos - CMDMC- Fapesp, Elson Longo.

Todas as palestras e mesas-redondas serão transmitidas ao vivo pela internet. Outras informações sobre a programação ou inscrições estão disponíveis através do site www.cienciaweb.com.br