Notícia

Biólogo

Pesquisando na quarentena - Depoimento de estagiária de pós-doutorado

Publicado em 15 abril 2020

Pesquisando na quarentena: Jamille Dombrowski, estagiária de pós-doutorado no ICB-USP, conta como criou uma rotina para analisar dados de pesquisa e escrever artigos trabalhando em casa

Depoimento concedido a Fabrício Marques / Pesquisa FAPESP

Minha rotina mudou radicalmente no dia 16 de março. Como acontece toda segunda-feira, o professor Claudio Marinho, do Instituto de Ciências Biomédicas [ICB] da USP, reuniu-se com estudantes, parceiros e colaboradores para discutir o andamento das atividades de pesquisa do Laboratório de Imunoparasitologia Experimental, que ele coordena.

Faço estágio de pós-doutorado no laboratório e estava lá com meus colegas – dois alunos de doutorado, uma técnica e uma pesquisadora que tem um auxílio Jovem Pesquisador da FAPESP –, mas fomos avisados de que quem não estivesse participando de atividades essenciais estava dispensado. O professor Marinho me disse: ‘Vá trabalhar em casa’.

O perigo do desprezo à ciência

Nossa linha de pesquisa envolve a imunologia de malária gestacional . Sou enfermeira formada pela Universidade Federal do Acre. Passei dois anos no município de Cruzeiro do Sul, no interior do estado, acompanhando 600 mulheres grávidas e coletando dados e amostras biológicas para o meu doutorado em ciências, defendido no ICB em 2018 e orientado pelo professor Marinho, com bolsa da FAPESP.

“Em isolamento, estou produzindo mais”

Conheça a Biomedicina

O meu pós-doc envolve a avaliação de amostras biológicas – que é o sangue coletado – e de um extenso banco de dados com as informações das gestantes, como dados clínicos e epidemiológicos, análise placentária e muitos outros.

O objetivo é a identificação de biomarcadores no sangue periférico que indiquem precocemente se as gestantes com malária sofrerão lesões ou disfunção na placenta, o que pode levar a efeitos adversos na gestação.

A primeira parte da pesquisa, que envolve o processamento e análise das amostras, foi interrompida por conta da pandemia : os kits que compramos ainda não chegaram, enquanto outros materiais com pedidos para compra estão com o processo parado. Então, meu foco é a segunda parte, que é feita essencialmente no computador: a análise do banco de dados, gerando resultados para esse e outros trabalhos.

> Para saber mais, acesse o artigo completo da Revista Fapesp > “Em isolamento, estou produzindo mais”

Comentários do Facebook