Notícia

Celulose Online

Pesquisadores estudam etanol a partir da celulose

Publicado em 25 agosto 2009

Pesquisadores de vários países vão se reunir em cinco lugares do planeta - na Malásia, na África do Sul, no Brasil, nos Estados Unidos e na Holanda - para discutir a viabilidade da produção de biocombustíveis em larga escala e em nível mundial e buscar um consenso científico sobre o assunto. A primeira etapa do projeto será cumprida com os encontros nos cinco países. A reunião inaugural ocorrerá em novembro, na Malásia, e as demais devem acontecer entre fevereiro e maio de 2010.

Na pauta dos debates, há tópicos obrigatórios, como os desafios tecnológicos para obter etanol a partir de celulose a custos competitivos, a possibilidade de replicar em outros países o bem-sucedido caso do etanol de cana brasileiro e o temor de que a concorrência dos biocombustíveis comprometa outras culturas agrícolas.

Serão também discutidas alternativas capazes de multiplicar a produção sustentável de energia a partir da biomassa, tais como o aproveitamento de terras degradadas e de pastagens, além do aumento da eficiência dos processos de conversão de energia.

No comitê diretor do projeto estão: Lee Lynd, professor de engenharia da Thayer School of Engineering, Dartmouth College; Tom Richard, professor de engenharia agrícola e diretor dos Institutos do Estado da Pennsylvania de Energia e Meio Ambiente e Nathanael Greene, diretor de políticas para energias renováveis da entidade ambientalista Natural Resources Defense Council.

As cinco reuniões serão supervisionadas por um comitê organizador composto por 11 membros. Há dois representantes brasileiros neste grupo: os físicos José Goldemberg, reitor da Universidade de São Paulo (USP) entre 1986 e 1990 e pioneiro nos estudos sobre a sustentabilidade do etanol de cana, e Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fapesp.

Fonte: Pesquisa Fapesp. Adaptado por Celulose Online.