Notícia

ID News

Pesquisadores do CDMF desenvolvem projeto sobre sensores de compostos voláteis em cooperação com grupo francês

Publicado em 27 outubro 2020

Resultados acabam de ser publicados no periódico Sensors and Actuators B

Os pesquisadores Luís Fernando da Silva e Waldir Avansi Júnior, ambos professores do Departamento de Física da Universidade Federal de São Carlos (DF – UFSCar), Ariadne Cristina Catto, pós-doutoranda no DF-UFSCar, e João Victor de Palma, graduando em Física pela UFSCar — todos integrantes do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) –, acabam de publicar os resultados de uma pesquisa realizada em colaboração com o Institut Matériaux Microeléctronique Nanoscience de Provence (IM2NP), na França, no periódico internacional Sensors and Actuators B.

O trabalho, intitulado “BTEX Gas Sensor Based on Hematite Microrhombuses”, apresenta o potencial da aplicação de cristais de hematita na detecção de pequenas concentrações de gases BTEX, (a partir de 3 ppb – partes por bilhão). Os BTEX (Benzeno, Tolueno, Etilbenzeno, e os três isômeros de Xileno) pertencem ao grupo de VOCs (Compostos Orgânicos Voláteis – Volatile Organic Compounds) aromáticos e são responsáveis por graves impactos ao ambiente e à saúde.

Entre as principais fontes de emissões desses gases estão os postos de gasolina e o tráfego de veículos, além de alguns produtos como, por exemplo, tintas, solventes, ceras e pesticidas, comuns em nosso cotidiano, o que reforça a importância do desenvolvimento de ferramentas e sistemas mais eficientes para o monitoramento desses poluentes.

A pesquisa, apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), foi conduzida na UFSCar e na Université Aix-Marseille, na França, e teve seus resultados preliminares apresentados na MRS Fall Meeting, em Boston, nos Estados Unidos, em 2019.

O artigo também tem como autores os pesquisadores Sandrine Bernardini, Tomas Fiorido, Khalifa Agui e Marc Bendahan. Para acessar o trabalho clique AQUI.

CDMF

O CDMF é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) apoiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e recebe também investimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN).

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Jornal O Imparcial (Araraquara, SP) Araraquara News