Notícia

TV TEM (São José do Rio Preto, SP)

Pesquisadores desenvolvem pesticida à base de sacarose

Publicado em 22 janeiro 2006

Há quatro anos, pesquisadores da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Rio Preto desenvolvem uma pesquisa científica que produziu um pesticida para controle de pragas, a partir da sacarose extraída da cana.
Segundo o pesquisador e professor Maurício Boscolo, do laboratório de química ambiental, a idéia é usar o composto chamado éster de sacarose, presente em muitos vegetais, e sintetizá-lo a partir do óleo de soja e açúcar. "A partir daí, ter o produto em escala industrial."
O resultado da pesquisa é um pesticida de baixo custo, biodegradável e atóxico ao ser humano e mamíferos. "O produto age apenas sobre as pragas de interesse, com menor efeito sobre aqueles benéficos à planta", afirma o pesquisador Reinaldo José Fazzio Feres, do laboratório de acarologia.
Além de atingir o indivíduo adulto, o pesticida também atinge os ovos, o que impede as larvas de romperem as cascas.
Uma empresa de São Paulo já está em negociação com os pesquisadores e a expectativa é que o produto esteja no mercado em dois anos. O produto já foi aplicado com sucesso, segundo os pesquisadores, em seringal de uma empresa.
O professor Odair Aparecido Fernandes, da Unesp de Jaboticabal, também utilizou com sucesso o pesticida no combate à mosca branca.
Desde o início do ano, os pesquisadores trabalham em conjunto com a empresa Athena Mudas, de Rio Preto, para aplicar o produto no ácaro rajado, que ataca mudas de crisântemo e dália e que estava resistente aos acaricidas convencionais.
Os pesquisadores estão fazendo testes em laboratório para determinar a dosagem de utilização do produto, com o levantamento da infestação dos ácaros antes e depois da aplicação.
O apoio é da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado) e gerenciamento da Faperp (Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Rio Preto).