Notícia

Diário de Suzano

Pesquisadores descobrem nova substância para proteção solar

Publicado em 15 janeiro 2009

Em pesquisa desenvolvida na Universidade de Mogi das Cruzes foi descoberta uma nova substância para proteção solar, cuja patente já foi depositada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Trata-se de uma idéia revolucionária e eficaz de prevenir os efeitos danosos dos raios solares UV, reduzindo o envelhecimento precoce, assim como a probabilidade de aparecimento de tumores de pele.

O depósito da patente visa proteger a idéia, visto que o desenvolvimento do produto final para ser comercializado pode levar de cinco a dez anos, tendo de passar por todos os testes clínicos exigidos. Com a descoberta dos testes in vitro, serão iniciados agora os biológicos, primeiramente em frações celulares e em animais de pequeno porte e depois em seres humanos. A próxima etapa é encontrar uma empresa farmacêutica interessada em comercializar o produto.

“O projeto nasceu das linhas de pesquisa desenvolvidas por mim e pelo professor e pesquisador Dr. Tiago Rodrigues, envolvendo fotoquímica e antioxidantes. Durante os estudos, descobrimos que as substâncias eram capazes de absorver a luz UV e se manter estáveis, sem atacar as células, que é o desejável para a fotoproteção. Além disso, não produziam espécies reativas adicionais como fazem a benzofenona e dióxido de titânio, que são princípios ativos muito usados nos fotoprotetores do mercado”, explicou a pesquisadora Dra. Iseli Lourenço Nantes, coordenadora do Centro Interdisciplinar de Investigação Bioquímica (CIIB) da UMC.

A pesquisa conta com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e apoio da Fundação de Amparo ao Ensino e Pesquisa (Faep-UMC). Deve ser ressaltada ainda a participação de pós-graduandos e estudantes bolsistas do programa de Iniciação Científica da UMC, entre eles, a mestranda em Biotecnologia Carolina Gregorutti dos Santos