Notícia

Terra

Pesquisadores criam refrigerador solar para o NE

Publicado em 02 agosto 2007

Pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) desenvolveram um novo sistema de refrigeração baseado na energia solar, uma invenção que poderá beneficiar produtores rurais de leite no Nordeste brasileiro, informou nesta quinta-feira a Agência Fapesp.

De acordo com a professora Ana Rosa Mendes Primo, do Grupo de Engenharia Térmica do Departamento de Engenharia Mecânica da UFPE, o sistema atinge uma temperatura mínima de 7ºC e funciona por meio de um processo de absorção sólida.

O refrigerador é composto por um coletor solar plano, cujo interior é cheio de sílica gel - material usado para absorver umidade. O sistema tem uma válvula de passagem de água com acionamento manual.

"A sílica gel libera vapor d'água a partir da ação do Sol. Quando o Sol incide sobre o reator, o calor penetra no coletor e a sílica começa a expulsar o vapor d'água, que é direcionado para o condensador, liquefeito e acumulado em um recipiente", explicou Ana Rosa à Fapesp.

Esse processo aproveita as condições climáticas de céu limpo e pouca precipitação ao longo do ano no Nordeste brasileiro. Segundo a pesquisadora, no final do dia, quando o calor diminui, é preciso abrir a válvula para que a água desça para o evaporador, produzindo a refrigeração dos baldes de leite.

"Quando o Sol volta a nascer, é hora de fechar a válcula e recomeçar o ciclo", disse. Os pesquisadores trabalham agora na criação de um sistema automático de controle da válcula.

Pernambuco produz cerca de 186 milhões de litros por ano, empregando cerca de 80 mil pessoas. Os pesquisadores afirmam que, com uma produção de cem refrigeradores baseados nessa tecnologia, cada unidade custaria em torno de R$ 5.