Notícia

Comércio da Franca

Pesquisadores concluem o mapeamento do café arábica

Publicado em 12 agosto 2004

O Instituto Agronômico de Campinas (IAC), divulgou ontem a conclusão do projeto de seqüenciamento do genoma do café arábica, espécie que responde por aproximadamente 80% da produção nacional. A pesquisa resultou em um 'superbanco de dados', conforme o pesquisador do IAC Carlos Colombo, O IAC é responsável pelo desenvolvimento de 90% das variedades da espécie arábica produzidas no Brasil. Segundo Colombo, o seqüenciamento foi iniciado há dois anos pelos IAC e conduzido em parceria por laboratórios de São Paulo e de Brasília. A maior parte do material refere-se ao café arábica, mas há também dados relativos à espécie canephora. A pesquisa custou R$ 2 milhões, financiada com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), do Centro Nacional de Recursos Genéticos e do Consórcio de Pesquisa Cafeeira do Brasil. 'Usamos uma estrutura de equipamentos' já montada em pesquisas de genoma anteriores. Caso tivéssemos que partir do zero, a pesquisa teria custado R$ 6 milhões', comentou. Pelo menos 200 mil seqüências de genes de café foram mapeadas pelos pesquisadores. 'Chegamos a um banco de dados para mais 30 anos de pesquisas', afirmou. O estudo abrange diferentes partes da planta, como caule raiz, folhas, flores e sementes. 'Induzimos algumas situações, como falta de água, para obter respostas e informações genéticas diversificadas', disse o pesquisador. Segundo ele, com o material coletado será possível descobrir qual a função dos genes na planta, comparar informações com bancos de dados internacionais e promover melhoramento genético.