Notícia

Esteta

Pesquisadores brasileiros vencem competição de ferramentas para projeto de chips de alto-desempenho

Publicado em 09 abril 2013

Durante o International Symposium on Physical Design - 2012, ocorrido na Califórnia, pesquisadores da Intel promoveram uma competição para a análise de ferramentas aplicadas no projeto de chips de alto-desempenho. Representando algumas das melhores universidades de todo o mundo, principalmente dos EUA e Asia, 18  equipes participaram do desafio. A equipe da UFRGS obteve a primeira colocação em dos critérios avaliados e a segunda posição em outro.

Promovido pela ACM/SIGDA e tendo co-promoção técnica da IEEE CAS Society, o International Symposium on Physical Design tem como temas centrais todos os aspectos do projeto físico de circuitos integrados, ou chips como são mais popularmente conhecidos, abordando sua a arquitetura, comportamento eletro-físico, níveis lógicos, verificação e análise de desempenho.

A competição organizada por pesquisadores da Intel procurou abordar o problema da redução de potência estática, que afeta a performance de circuitos de alto-desempenho, como processadores de computadores, por exemplo. As equipes participantes tiveram suas ferramentas avaliadas segundo dois critérios: o resultado absoluto, com medição detalhada do atraso de transmissão de sinais fornecidos por uma ferramenta comercial, e a melhor relação entre tempo e qualidade.

“As chamadas ferramentas EDA - Electronic Design Automation, ou Automação de Design Eletrônico - tratam da automação do projeto físico de chips e buscam otimizar o particionamento do circuito, o posicionamento, roteamento e dimensionamento de seus componentes, chegando até a uma síntese automatizada do layout da rede de transistores”, conta o Prof. Dr. Ricardo Reis, co-orientador da equipe participante da competição.

Essa temática tem ganhado cada vez mais importância, uma vez que os projetos de chip estão cada vez mais complexos, o que torna a sua automação crucial. “Projetos eficientes influenciam diretamente na performance do chip, sua temperatura de operação e confiabilidade. Por isso, as ferramentas de Automação de Design Eletrônico têm obtido tanto destaque. A competição serviu para mostrar que a tecnologia desenvolvida no Brasil é original e está no estado da arte”, conclui Reis.

A equipe vencedora da competição pertence ao Instituto de Informática da UFRGS, composta pelos alunos de doutorado Gracieli Posser, Guilherme Flach, Tiago Reimann, pela bolsista de IC Jozeanne Belomo, com orientação do Prof. Dr. Marcelo Johann e do Prof. Dr. Ricardo Reis.

O Instituto de Informática da UFRGS é uma das participantes da rede de 27 instituições de pesquisa que compõem INCT Namitec (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Nano e Microeletrônicos), cujo o foco de pesquisa é na área de microeletrônica, com pesquisas e ações no estudo de redes de sensores, projeto de circuitos integrados, estudos de dispositivos, tecnologias de fabricação e formação de recursos humanos. O INCT Namitec é financiado pelo CNPq, Fapesp e Capes.

INCT NAMITEC