Notícia

IDG Now!

Pesquisadores brasileiros testam táxi sem motorista no interior de SP

Publicado em 26 agosto 2015

Em breve, quem frequentar o campus da USP de São Carlos, interior de São Paulo, poderá se deparar com um táxi que leva passageiros pelo campus, porém com uma diferença. No banco do motorista não há nenhum taxista.

Pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) e da Escola de Engenharia da USP de São Carlos desenvolveram um sistema veicular autônomo que segue sob testes. As informações são da Agência Fapesp.

A expectativa é que, superado os últimos testes, o serviço de táxi autônomo seja apresentado a público em meados de outubro. Um aplicativo responsável por chamar o táxi também está sendo desenvolvido. Para usá-lo, bastaria usar comando de voz pelo app ou apontar o destino desejado em uma tela de computador instalado no interior do carro.

Batizado de CARINA, na verdade sigla para Carro Robótico Inteligente para Navegação Autônoma, o serviço é uma das possíveis aplicações que pesquisadores da USP vislumbram para o sistema autônomo. O trabalho é resultado de cinco anos de projeto, com o primeiro teste do sistema feito em outubro de 2013.

Dois sensores a laser são os “olhos” do CARINA. Localizados na frente e no teto do automóvel, são eles que permitem o mapeamento do ambiente, incluindo aí o reconhecimento de obstáculos, como postes, carros, pessoas, cachorros. Reforçam o campo de visão câmeras que funcionam em 360º, elas possibilitam identificar cada local em um mapa, com todo o cenário ao redor, em localidades previamente filmadas.

Já uma câmera estéreo, com duas lentes, opera com o sensor a laser instalado na frente do carro e estima a profundidade dos objetos ao redor do veículo, além de interpretar e informar as faixas de trânsito.

Da Redação