Notícia

IDG Now!

Pesquisadores brasileiros mapeiam Nepal para orientar forças humanitárias

Publicado em 11 maio 2015

Pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, utilizam um software de mapeamento colaborativo que identifica via satélite ruas, prédios, pontes e estradas, para ajudar forças humanitárias que atuam no resgate às vítimas do terremoto que atingiu o Nepal no último 25 de abril. As informações são da Agência FAPESP.

O objetivo é facilitar a logística em comunidades afastadas que precisam de suprimentos, como medicamentos, alimentos e outros recursos.

O trabalho vem sido desenvolvido em parceria com a Universidade de Heidelberg, na Alemanha, desde 2011. O resultado são mapas colaborativos criados a partir do software livre OpenStreetMap, utilizado para mapear regiões em situação de risco geológico.

Um dos sistemas web criados permite considerar, por exemplo, o planejamento de uma rota. Assim, ruas que estejam bloqueadas por escombros ou mesmos estradas interditadas, que estejam próximas a locais como hospitais e escolas, são apontados no mapa.

Concluída tal etapa, equipes humanitárias acessam tais informações para chegar aos locais necessários com maior segurança.

O projeto do ICMC, em parceria com a universidade alemã,  deu origem ao Geospatial Open Collaborative Architecture for Building Resilience against Disasters and Extreme Events (Agora), que atua na gestão de sistemas de informação colaborativos aplicados a desastres naturais. No caso do Brasil, o projeto se dedica especialmente às enchentes. O projeto recebe apoio da FAPESP.

Segundo o balanço mais recente, o terremoto no Nepal foi responsável pela morte de mais de 7,5 mil pessoas e deixou quase 15 mil feridos.