Notícia

Campo Grande Urgente

Pesquisadora formada pela UEMS ganha prêmio nacional em inovação

Publicado em 27 novembro 2015

A pesquisadora Edmarcia Elisa de Souza, formada pela UEMS no curso Ciências Biológicas acaba de ser contemplada com o Prêmio Capes-Interfarma 2015 de Inovação e Pesquisa, concedido as duas melhores teses de Doutorado defendidas na área de Saúde Humana ou Ética/Bioética no Brasil. Edmarcia receberá sua premiação em Brasília, no próximo dia 10 de dezembro, na sede da CAPES, em cerimônia que contará com a presença da presidente Dilma Roussef.

A tese, defendida em 2014 no Programa de Pós-Graduação de Biologia Funcional e Molecular da Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, investigou o papel de um tipo de proteína, as quinases, no surgimento de doenças humanas. “Desvendar os mecanismos da divisão celular neste processo é fundamental, pois sua desregulação é associada a manifestações do câncer em humanos”, diz a pesquisadora.

Os estudos analisaram reações de uma quinase específica e pouco estudada, denominada “Nek 7”, um conhecido regulador da divisão celular. Segundo Edmarcia, “a compreensão do processo de reações celulares, tão corriqueiro e complexo para a biologia, é essencial para um maior entendimento de muitas doenças como o câncer, que surge justamente a partir de erros nesse processo de divisão celular”, explica.

Além da premiação da Capes, a pesquisa tem tido amplo reconhecimento em importantes espaços internacionais de divulgação científica. Os resultados obtidos na tese garantiram publicações nos destacados periódicos internacionais: Journal of Proteome Research (JPR); Cell Cycle; World Journal of Biological Chemistry (WJBC); Molecules; além de participação em congressos organizados pela European Molecular Biology Organization (EMBO), Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular (SBBq), e Sociedade Brasileira Biologia Celular (SBBC).

História de vida

Nascida em Glória de Dourados, Edmarcia viveu sua infância e adolescência no sítio dos pais agricultores, localizado no povoado conhecido como 10ª Linha Poente, no município de Fátima do Sul. Ela concluiu a graduação na sede da UEMS em Dourados em 2005, orientada pela professora Maria Aparecida Martins Alves, que recorda com entusiasmo de sua aluna.

“Muito dedicada aos estudos, Edmarcia é um caso exemplar de acadêmica que passou pela UEMS e obteve destaque noutros espaços. Como professora e orientadora, acompanhei o desenvolvimento dela na Universidade, sempre ávida pelo aprendizado e esforçada. Sinto orgulho de saber a profissional de sucesso que ela se tornou”, reconhece Maria Aparecida.

Para o vice-reitor da UEMS, Laércio Alves de Carvalho, é muito gratificante vislumbrar os desdobramentos alcançados por egressos da UEMS que seguem suas carreiras de modo a contribuir para a sociedade. “Histórias de vida como de Edmarcia comprovam que a Universidade deve ser o espaço por excelência no fomento sonhos e talentos dos jovens que aqui ingressam. Nesse sentido, reiteramos o propósito da atual gestão em incentivar, cada vez mais, que nossos acadêmicos sigam pelo caminho da pesquisa”, afirma Laércio.

Atualmente Edmarcia é pesquisadora no Laboratório de Mecanismos de Sinalização do Instituto de Biologia da Unicamp,do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), que integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM),  onde desenvolve pós-doutorado no LNBio, CNPEM-, com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), sob a supervisão do professor Dr. Jorg Kobarg. “Nesta etapa, eu almejo produzir uma série de trabalhos da mais alta qualidade, relacionados ao papel da desregulação da divisão celular no surgimento de câncer humano”, finaliza a egressa da UEMS.