Notícia

Tribuna Impressa

Pesquisadora desenvolve biomaterial que regenera ossos

Publicado em 08 agosto 2010

A cirurgiã-dentista Sybele Saska, doutoranda em Biotecnologia pelo Instituto de Química (IQ) da Unesp de Araraquara, desenvolveu um novo biomaterial para uso em procedimentos odontológicos. Trata-se de uma membrana de celulose bacteriana destinada à regeneração óssea. O produto é mais barato e mais eficiente do que outros semelhantes disponíveis no mercado.

"Associei minha experiência clínica com as possibilidades aqui do laboratório", conta Sybele. Ela explica que a membrana recebe aplicação de componentes do osso, (colágeno e hidroxiapatita). A celulose evita a necessidade de uma segunda cirurgia, já que é reabsorvida pelo organismo.

Para tornar este biomaterial osteoindutor (estimulante da regeneração óssea) foram adicionados a ele os peptídeos sintéticos moduladores dos fatores de crescimento ósseo. Esses peptídeos possuem a função de regular a expressão dos fatores de crescimento relacionados ao tecido ósseo.

Estudos preliminares apontam que este material poderá regenerar o tecido ósseo em um período entre 7 e 15 dias, dependendo do tamanho do defeito.

"Por enquanto desenvolvemos a membrana, mas já estamos avançando para um outro modelo chamado Scaffold", revela Sybele. Seria o mesmo princípio, porém, usando uma base tridimensional, como se o implante já fosse exatamente do formato desejado, e o osso se regenerasse em volta do molde.

A próxima etapa da pesquisa será realizar os testes deste material em animais, para regeneração de tecido ósseo, com o objetivo de acelerar o processo de cicatrização de defeitos ósseos, com uma amostragem maior. Somente depois de superada essa fase é que o biomaterial poderá sertestado em humanos.

A patente referente a este material foi depositada em maio de 2010. Pelo trabalho, orientado pelo professor Reinaldo Marchetto, Sybele recebeu, no dia 14 de julho, o prêmio de melhor trabalho de Materiais Dentários concedido pela empresa alemã Heraeus (www.heraeus.com), na 88th International Association for Dental Research General Session, em Barcelona, na Espanha.

Trabalho de equipe

As pesquisas para a produção deste biomaterial, contam com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e estão sendo realizadas na Unidade de Síntese, Estrutura e Aplicações de Peptídeos e Proteínas, e Laboratório de Materiais Fotônicos, ambos do IQ e Departamento de Morfologia da Faculdade de Odontologia da Unesp, coordenadas pelos professores Reinaldo Marchetto, Younès Messaddeq e Ana Maria M. Gaspar respectivamente. Esta pesquisa conta ainda com a cooperação do professor Paulo Tambasco de Oliveira e do aluno Lucas Novaes Teixeira do Laboratório de Cultura de Células da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (USP).