Notícia

ABIPTI - Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação

Pesquisadora da Unicamp recebe prêmio da American Chemical Society

Publicado em 13 outubro 2020

Por letraseartes

Ana Flávia Nogueira, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), foi uma das três brasileiras a receber o Prêmio Mulheres Brasileiras em Química e Ciências Relacionadas, oferecido pela American Chemical Society (ACS) em parceria com a Sociedade Brasileira de Química (SBQ). Nogueira é pesquisadora responsável por uma das divisões de pesquisa do Centro de Inovação em Novas Energias (CINE), um dos Centros de Pesquisa em Engenharia (CPE) constituído pela FAPESP em parceria com a Shell.

Os prêmios têm o objetivo de promover a igualdade de gênero em ciência, tecnologia, engenharia e matemática no Brasil e de avançar na compreensão do impacto da diversidade na pesquisa científica e no campo da química. As vencedoras serão homenageadas nesta quinta-feira (15/10), durante o simpósio sobre o combate à desigualdade na ciência, que fará parte da 43ª Reunião Anual da SBQ.

Professora do Instituto de Química da Unicamp, Nogueira ganhou o prêmio de liderança na academia, pela sua contribuição no impacto global e social na pesquisa. Seu trabalho de destaque foi na pesquisa e desenvolvimento de novos materiais e processos, mais baratos e eficientes para conversão de energia solar em elétrica.

“Este não é apenas um prêmio que recebo pela liderança na academia, mas sim para todas as jovens pesquisadoras, desde as alunas de iniciação científica, de pós-graduação e pós-doutorado que têm em seu sonho o desejo de ser uma cientista”, afirma. “E num momento tão difícil. A elas dedico esse prêmio. Digo que nosso caminho não é fácil, é difícil, tortuoso, denso, mas que com certeza vale muito a pena. Porque nós, mulheres, fazemos com muito amor, dedicação e competência.”

Nogueira é reconhecida por seu trabalho pioneiro no país e na América Latina no desenvolvimento de células solares emergentes como as de perovskita e as sensibilizadas por corante. Utilizando novos materiais e processos mais baratos, a professora obteve resultados tão eficientes quanto as células solares que utilizam silício. A pesquisa foi realizada no Laboratório de Nanotecnologia e Energia Solar (LNES) da Unicamp, em Campinas.

As outras ganhadoras são: a também professora associada em química Paola de Azevedo Mello, da Universidade Federal de Santa Maria (RS), na categoria líder emergente; e a engenheira química especializada na área de petróleo e consultora sênior da Petrobras, Sonia Maria Cabral de Menezes, pela liderança na indústria.

As vencedoras serão homenageadas no dia 15 de outubro de 2020, durante o simpósio sobre o combate à desigualdade na ciência, durante a 43ª Reunião Anual da SBQ. Os interessados poderão assistir à premiação se inscrevendo na plataforma de eventos eventbrite.

*Com informações da assessoria de imprensa da American Chemical Society .

Fonte: Agência Fapesp

O post Pesquisadora da Unicamp recebe prêmio da American Chemical Society apareceu primeiro em ABIPTI.

(Foto: )