Notícia

DCI online

Pesquisador desenvolve madeira com fibra de vidro para const

Publicado em 02 setembro 2005

Por Cintia Borsato

Uma nova matéria-prima para aplicação na indústria de construção civil é o resultado da pesquisa de doutorado feita no Laboratório de Madeira e de Estruturas de Madeiras (LaMEM) da Universidade de São Paulo em São Carlos. O responsável pelo projeto, Juliano Fiorelli, acaba de descobrir uma inovação para as madeiras laminadas coladas, utilizadas principalmente em construções com grandes estruturas, como pontes, galpões ou ginásios. O pesquisador introduziu fibras de vidro nas estruturas já conhecidas pela indústria e obteve um material até 50% mais resistente que o natural.
Além disso, Fiorelli aponta para outra vantagem da nova estrutura. As vigas de madeiras reforçadas podem ser até 15% mais baratas do que as difundidas no mercado. "Diminuímos o uso da madeira, já que a fibra confere, de forma proporcional, uma ampliação da área", ele explica.
Neste caso, a nova matéria-prima feita pelo pesquisador pode expandir sua aplicação para o exterior. "Nos países desenvolvidos não tem madeira tropical de grande porte. Com a tecnologia, conseguimos matérias-primas bem grandes e atendemos a demanda do exterior", afirma Fiorelli.
Ele diz ainda que o novo elemento estrutural é mais seguro, porque dá sinais de que a madeira está se rompendo. De acordo com o pesquisador, a madeira laminada colada rompe de uma vez só, enquanto a madeira com lâmina de vidro sofre uma deformação, um tipo de aviso na opinião de Fiorelli.
A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) investiu cerca de R$ 60 mil no projeto, que iniciou em 2002 e foi finalizado em abril de 2005. De acordo com Fiorelli, a empresa brasileira Fibertex, fabricante de fibras de vidro, forneceu o material para a sua pesquisa. Até o momento, nenhuma empresa se mostrou interessa na produção em escala industrial do novo material, mas o pesquisador acredita que isso deve ocorrer em breve, especialmente porque o LaMEM possui várias instituições parceiras interessadas em inovações para a madeira.
Ao contrário da maioria das tecnologias agregadas, as vigas de madeira laminada colada com fibra de vidro não são mais caras que as matérias-primas comuns. Segundo Fiorelli, isso ocorre devido ao baixo custo de um tecido de fibra de vidro, em torno de R$ 6,00 o metro quadrado. O item mais caro na formulação é a cola, que custa cerca de R$ 35,00 o quilo.
A fibra de vidro é colada no elemento estrutural de uma grande construção. De acordo com o pesquisador, para cada um metro de altura de uma viga de madeira, é necessário 3,3% de fibra de vidro. Entretanto, Fiorelli admite que para obter um bom desempenho, a viga deve ser formada com lâminas de até 5 centímetros de espessura. "A partir deste ponto, a qualidade na colagem diminui", ele completa.