Notícia

A Folha (São Carlos, SP)

Pesquisador de universidade suíça traz contribuições para o INCT-SEC

Publicado em 13 janeiro 2011

Evitar ou minimizar os prejuízos causados por enchentes, desmatamentos e poluição, utilizando tecnologias como cloud computing, redes sem fio e redes mesh. Essa foi a principal contribuição oriunda da visita do professor Torsten Braun ao Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos.

Cloud computing ou computação em nuvem refere-se à utilização da memória e das capacidades de armazenamento de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da internet. Redes mesh ou redes malha correspondem a diversas tecnologias que permitem o estabelecimento de uma. rede utilizando-se de uma série de tipos de equipamentos com a função de roteador - repetidor.

O alemão Braun, pesquisador da área de redes sem fio, é diretor e professor do Instituto de Computação e Matemática Aplicada da University of Bem, na Suíça, e esteve no ICMC de 29 de novembro a 17 de dezembro. A visita foi financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa , do Estado de São Paulo (FAPESP)* e acompanhada pelo • professor Jo Ueyama, do ICMC.

A troca de conhecimentos propiciada pela vinda do professor permitiu o uso do detector de enchentes pela internet. Esse detector é um protótipo de uma rede de sensores sem fio (RSF) que prevê a ocorrência de enchentes e foi criado pelo projeto Rede de Sensores para Detecção de Enchentes (REde), formado por professores do ICMC e da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP.

De acordo com Üeyama, "os dados de monitoramento de rios, como pressão da água e nível de poluição, poderão ser enviados a um banco de dados acessíveis pela internet", inicialmente os dados eram transmitidos por celular.

Outras contribuições

Braun também aproveitou para apresentar os benefícios da central de testes wisebed - wireless sensor network test bed - aos pesquisadores do INCT--SEC, mais especificamente aos da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) que atuam na área de redes de sensores sem fio.

Esse projeto europeu envolve nove instituições de países como Inglaterra, Alemanha, Espanha, Holanda, Suíça e Grécia, tendo como intuito prover uma área de testes pública para que pesquisadores de redes sensores sem fio possam fazer testes de performance, analisando qualitativa e quantitativamente os protótipos desenvolvidos, de forma que possam criar padrões de qualidade.

Referente a veículos aéreos não tripulados (VANTs), Braun elogiou o conhecimento do professor Onofre Trindade Júnior, do ICMC e do INCT-SEC, e sugeriu diversas soluções que podem ser propiciadas pelo uso desses veículos.

Focando o monitoramento de fronteiras agrícolas, o pesquisador citou, como exemplo, o controle na aplicação correta e delimitada de pesticidas. Assim, um VANT teria a função de jogar pesticidas nas áreas agrícolas e outro, a de roteador, por meio de sensores, evitaria ou minimizaria que esses produtos ultrapassassem as fronteiras, evitando o desperdício e a ocorrência de multas. Além disso, os dois VANTs ou múltiplos, caso necessário, se comunicariam entre si visando ajustes no plano de voo, para que variações de direção e velocidade do vento não provocassem colisões. Helicópteros também poderiam funcionar como centrais de retransmissão.

Além disso, Braun afirmou ter tido uma conversa construtiva com doutorando orientado pelo professor Edson dos Santos Moreira, do ICMC, sobre sincronização de VANTs.

Na área de robótica, a colaboração do professor aos pesquisadores do INCT-SEC foi referente a mecanismos inovadores de localização de robôs sem uso de GPS (Global Positioning System). Pelas pesquisas desenvolvidas, o alemão utiliza apenas telefones celulares e as tecnologias wi-fi e bluetooth. O que é importante para monitoramento de compras, localização de pessoas desaparecidas e outras questões relacionadas à segurança.

Além das contribuições, Braun ministrou palestra durante aula de redes móveis e o Seminário de Computação Design and Evaluation of Energy-Efficient Wireless Sensor Network Protocols, no dia 2 de dezembro, ambos no ICMC, e realizou visitas à UFSCar e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Suas atividades não ficaram restritas às áreas acadêmicas e de pesquisas. Participou da 28a Volta USP, correndo o trajeto de cinco quilômetros, no dia 5 de dezembro, e elogiou a organização do evento promovido pelo Centro de Educação Física, Esportes e Recreação do Campus de São Carlos.

Troca de conhecimentos Durante sua permanência, Braun teve contato com diversos alunos e afirmou que "gostou muito do tempo que esteve aqui no ICMC e confirmou o que ele previa: que o aluno do Brasil não tem diferença com o europeu", no que se referente ao comprometimento acadêmico e o desenvolvimento na área de pesquisas. O professor acompanha as pesquisas de dois alunos brasileiros que estão fazendo parte do Doutorado na Suíça, um deles é da Universidade Federal de Uberlândia e outro da Unicamp e ressalta que esses alunos vêm se destacando.

Eduardo Cerqueira, da Universidade Federal do Pará (UFPA) e que escreve artigos em parceria çom Braun e Ueyama, enfatiza que a visita é "muito importante para futuras gerações", pois permitirá o desenvolvimento de novos projetos a partir de ideias surgidas durante conversas entre o professor alemão e os estudantes. Cerqueira participa de projeto de cooperação entre Brasil e Comunidade Europeia, nas áreas de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC).

Visitas como essa demonstram a importância da troca de conhecimentos entre pesquisadores de diferentes contextos e como podem produzir bons resultados para o desenvolvimento científico. Ueyama compartilha dessa opinião e destaca que a iniciativa também faz parte da política de internacionalização da Universidade de São Paulo.

Processo FAPESP 2010 / 11252-2 - Auxílio à Professor Visitante