Notícia

Nações Unidas Brasil

Pesquisador da FAPESP é nomeado conselheiro da Universidade das Nações Unidas

Publicado em 28 abril 2016

O diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Carlos Henrique de Brito Cruz, foi nomeado novo membro do conselho de governança da Universidade das Nações Unidas (UNU).

Engenheiro eletrônico e físico, Brito Cruz também é professor da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), da qual foi reitor de 2002 a 2005. Ele é graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Brito Cruz foi nomeado para o cargo pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e pela diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, junto com outros 11 novos membros.

Eles assumirão o cargo em 3 de maio para um mandato de três a seis anos, substituindo o conselho anterior cujo mandato durou de 2010 a 2016.

As principais funções do conselho da UNU são formular os princípios e políticas da universidade, governar suas operações e considerar e aprovar seu orçamento bianual e programa de trabalho.

Os membros atuam com suas capacidades individuais (não como representantes do governo de seu país), e são selecionados com base no objetivo de atingir um equilíbrio geográfico e de gênero, considerando as mais importantes tendências acadêmicas, científicas, educacionais e culturais, assim como os campos de expertise de cada membro.

Segue abaixo a lista dos 12 novos membros nomeados para o conselho da Universidade das Nações Unidas:

  • Ernest Aryeetey (Gana), vice-reitor da Universidade de Gana;
  • Carlos Henrique de Brito Cruz (Brasil), diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e professor do Instituto de Física Gleb Wataghin da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP);
  • Simon Chesterman (Austrália), decano da Faculdade de Direito da Universidade Nacional de Cingapura;
  • Elizabeth Cousens (EUA), vice-presidente da Fundação das Nações Unidas;
  • Isabel Guerrero Pulgar (Chile), diretora da IMAGO Global Grassroots e conferencista da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT);
  • Angela Kane (Alemanha), representante-emérita do Centro para o Desarmamento e a Não Proliferação, de Viena, e professora do Instituto de Estudos Políticos de Paris;
  • Segenet Kelemu (Etiópia), diretor-geral e presidente do Centro Internacional de Fisiologia e Ecologia de Insetos;
  • Bassma Kodmani (Síria), diretor-executivo da Iniciativa de Reforma Árabe;
  • Radha Kumar (Índia), diretor-geral do Delhi Policy Group;
  • Irena Lipowicz (Polônia), professor da Universidade Cardinal Stefan Wyszyñski (Varsóvia);
  • Tsuneo Nishida (Japão), diretor do Instituto de Ciência e Paz da Universidade de Hiroshima e diretor da Toho Zinc;
  • Lan Xue (China), decano da Escola de Políticas Públicas e Administração da Universidade de Tsinghua e diretor do Instituto Chinês de Políticas para Ciência e Tecnologia.