Notícia

Jornal Primeira Página

Pesquisador afirma que lockdown é eficaz para controle do coronavírus

Publicado em 09 maio 2021

Pesquisadores da plataforma SP Covid-19 Info Tracker, da USP e da UNESP, desenvolveram um estudo comparativo que mostra a evolução de casos, óbitos e internações de Araraquara, que fez lockdown permanente no período de 21 de fevereiro a 2 de março de 2021, com São Carlos, sob a coordenação do professor e pesquisador, Wallace Casaca.

Na entrevista concedida na última sexta-feira (7) no programa Primeira Página Edição da Manhã, pesquisador Casaca afirma que o estudo entre as duas cidades, Araraquara e São Carlos, que pertencem ao mesmo Departamento Regional de Saúde, comprova que o lockdown rígido implementado em Araraquara foi bastante positivo, porque reduziu todos os índices da Covid-19.

“Recentemente desenvolvemos um estudo regional entre as cidades de Araraquara e São Carlos, e outros municípios. O estudo comprova a efetividade do lockdown quando compara com São Carlos, porque a gente observou no estudo que de fato a medida restritiva teve um efeito bastante positivo com a redução de todos os índices da Covid após o término do lockdown em Araraquara e foram bastante significativos quando comparados com São Carlos, que apenas seguiu o Plano SP”, afirma Casaca.

Ele complementa que o lockdown tem que ser rígido e contínuo para obter a redução significativa nos índices, como reduções no número de internações, novos casos, óbitos e outros.

“Existem vários estudos de casos espalhados no mundo que te fato atestam para a efetividade dessa medida. Mas existem alguns casos, como o caso do Peru, a medida implementada não foi continua e sim, intermitente, como foi também em Jau. O município implementou o lockdown intermitente, somente fechava aos finais de semana. Infelizmente, do ponto de vista dos índices estatísticos, não houve redução significativo nos números da Covid-19. Portanto, isso comprova que lockdown tem que ser rígido e contínuo”, afirma.

Mas, pesquisador Casaca confirma que essa medida mais restritiva afeta a economia. “O lockdown, de acordo com os estudos e as métricas, mostra que de fato é uma medida bastante efetiva. Reduziu significativamente os casos, principalmente quando está havendo uma explosão de casos. Mas tem os efeitos adversos, como por exemplo, a medida é muito ruim para a economia. Portanto, é uma medida efetiva, mas a gente tem que evitar na medida do possível, porque tem a questão do comercio e o desemprego”, ressalta.

VACINAÇÃO

Na segunda parte da entrevista, o pesquisador Wallace Casaca comentou sobre a vacinação contra a Covid-19 em nosso País. Segundo ele a morosidade da vacinação está relacionada com a falta de doses e o relacionamento político com países produtores de insumos para produção das vacinas no Brasil.

“Apesar de termos um sistema de saúde reconhecido internacionalmente, que é o SUS, e que tem capacidade de implementar campanhas nacionais de vacinação com alta efetividade, a morosidade da vacinação contra a Covid-19 está relacionada com a falta de doses. É um assunto bastante delicado porque envolve esforços do ponto de vista político com países que fornecem os insumos, principalmente manter uma boa relação com a China e Índia, no caso da CoronaVac e da AstraZeneca, respectivamente”, explica.

Ele afirma que a produção de insumos no Brasil poderia acelerar o processo de vacinação contra Covid-19. “Outro ponto que a gente poderia analisar a questão da produção de insumos aqui no Brasil. Esse é um ponto que está avançando, principalmente com a transferência de tecnologia, e isso leva um certo tempo. Mas tem avançado e acredito que nos próximos meses a gente possa de fato melhorar de forma significativa a nossa produção nacional. Isso realmente alavancaria as nossas campanhas de vacinação”, acredita.

SP COVID-19 INFO TRACKER

A plataforma on-line, www.spcovid.com.br, tem como objetivo disponibilizar à sociedade, veículos de mídia, comunidade científica e poder público informações acuradas e detalhadas sobre o avanço diário da COVID-19 no estado de São Paulo. As informações são coletadas em “tempo real” e, então, atualizadas diariamente.

Criar condições tecnológicas adequadas para que a sociedade, poder público e imprensa possam explorar os dados referente à pandemia de COVID-19 no Brasil, compreendendo assim sua dimensão nos municípios paulistas, bem como entender a situação atual de cada cidade em meio a um contexto mais geral envolvendo todo o estado. Além disso, espera-se que a plataforma possa fomentar a inserção social e digital da sociedade como um todo, trazendo à tona questões como a transparência de dados, posicionamento e a atuação de cada município no enfrentamento da pandemia de COVID-19.

Atualmente o projeto acompanha 92 municípios no estado de São Paulo, cuja cobertura corresponde à aproximadamente 35 milhões de pessoas ou, ainda, 85% dos óbitos ou de todos os casos confirmados de Covid-19 registrados no estado.

O projeto integra uma iniciativa promovida por pesquisadores do grupo VISER – UNESP (Universidade Estadual Paulista), USP (Universidade de São Paulo) e CEPID-FAPESP CeMEAI (Centro de Ciências Matemáticas aplicadas à Indústria), e conta com o apoio da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – Processo #2013/07375-0: CEPID-FAPESP CeMEAI) e da FUNDACTE (Fundação de Ciências, Tecnologia e Ensino – FCT/UNESP).

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Jornal Primeira Página online