Notícia

Jornal de Piracicaba

Pesquisa vai identificar uso para resíduos

Publicado em 14 agosto 2009

Estudo desenvolvido na Esalq (Escola Super de Agricultura Luiz de Queiroz) identifica resíduos da indústria alimentícia que podem ser reaproveitados como fonte de substâncias capazes de inibir a oxidação e a reprodução de micróbios nos alimentos industrializados. O projeto é financiado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), com aproximadamente de R$ 300 mil para dois anos.

De acordo com o coordenador do estudo, o professor Severino Matias de Alencar, do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição, a iniciativa pode resultar em um novo nicho de trabalho para a indústria, já que o reaproveitamento dos resíduos seria economicamente viável. A matéria-prima é barata. São subprodutos como bagaços de frutas e outros materiais gerados na produção de alguns alimentos. A reutilização é positiva porque há resíduos lançados na natureza que são contaminantes. Outro beneficio é a substituição dos antioxidantes sintéticos, que têm indícios de prejuízos à saúde, por resíduos naturais. A Europa, por exemplo, já está banindo os antioxidantes sintéticos, explicou Alencar.

Ele informou que o estudo está na primeira fase, a de identificação dos resíduos mais promissores. São mais de 30, segundo o professor. Entre eles estão bagaço de uva, restos de poupa e sementes de goiaba, película de amendoim. A segunda etapa será o estudo da composição química dos subprodutos. A última fase prevê a aplicação dos resíduos na produção de alimentos. Deve ocorrer em três ou quatro anos, afirmou.

O professor acrescentou que o momento de crise e a demanda cada vez maior por alimentos justificam o projeto. Porque a idéia é aproveitar ao máximo os resíduos e contribuir para a produção de alimentos mais saudáveis, destacou. O estudo envolve cerca de 20 pessoas. Além de Alencar, conta com participação de mais cinco docentes da Esalq, um da FOP (Faculdade de Odontologia de Piracicaba) e alunos de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado da Esalq.