Notícia

Portal Universidade

Pesquisa utiliza vitamina B2 para imunizar gado Home ›

Publicado em 27 março 2012

Um estudo desenvolvido na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Câmpus de Botucatu, uso com sucesso a vitamina B2 associada à radiação ultravioleta para inativar, reduzir ou eliminar patógenos presentes no sangue bovino conservado para ser utilizado em transfusões. O foco dos pesquisadores estava nos protozoários do gênero Babesia (B. bovis e B. bigemina) e na bactéria Anaplasma marginale, que associados provocam a doença conhecida como tristeza parasitária bovina (TPB). O estudo foi financiado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e desenvolvido com apoio da Embrapa Gado de Corte, de Campo Grande (MS).

A transfusão de sangue de bovinos é procedimento terapêutico capaz de proporcionar grandes benefícios para o gado, desde que não seja um agente facilitador da transmissão de doenças, explica o professor Raimundo Souza Lopes, um dos autores do trabalho. "Os riscos associados à transfusão incluem a possibilidade de transmissão de doenças através do sangue, como a anaplasmose e a babesiose". Segundo o professor, o impacto econômico da TPB varia entre US$ 500 milhões e US$ 2 bilhões anuais e inclui gastos com tratamento, mortalidade de animais e perdas indiretas, como queda na produção de leite, diminuição do ganho de peso e custos de controle e profilaxia. Prêmio O experimento utilizou bezerros mestiços Nelore/Caracu, com idades entre 8 a 12 meses, de ambos os sexos.

Parte do grupo recebeu sangue parasitado sem tratamento e parte recebeu sangue tratado com vitamina B2 associada à radiação UV. Após a coleta do sangue parasitado em bolsas plásticas para transfusão, foram realizadas avaliações da presença do parasita. Os resultados apontaram que o tratamento com a vitamina B2 associada à radiação ultravioleta reduziu significativamente a carga parasitária. Além do benefício terapêutico, o tratamento com a vitamina B2 associada à radiação UV pode agregar valor ao sangue comercializado pelos laboratórios e bancos que disponibilizam o produto especialmente para a transfusão. A pesquisa foi premiada durante o Congresso Brasileiro de Buiatria, realizado em outubro, na cidade de Goiânia (GO). O evento reuniu médicos veterinários especializados em saúde e produção de bovinos, ovinos, caprinos e bubalinos. Novas pesquisas iniciadas recentemente na FMVZ vão buscar soluções semelhantes para a inativação do agente patogênico Leishmania chagasi, causador da leishmaniose visceral, na transfusão de sangue em cães.

Fonte: Unesp