Notícia

Tribuna Hoje online

Pesquisa que mostrou associação entre a Zika e microcefalia é exposta em Maceió

Publicado em 16 julho 2018

No próximo dia 26 de julho (quinta-feira), especialistas de diversas áreas da Ciência se reunirão para conhecer detalhes do trabalho que comprovou a associação entre o vírus Zika e a microcefalia – iniciativa reconhecida pelo Prêmio Péter Murányi 2018 – Saúde. A apresentação acontecerá durante a 70ª Reunião Anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), na Universidade Federal de Alagoas, em Maceió.

A descoberta foi conduzida por um grupo de pesquisadores da Fiocruz, UPE, UFPE e parceiros internacionais, que compõem o MERG (Grupo de Pesquisa da Epidemia de Microcefalia), e se destacou por ter sido realizada em tempo recorde, levaram menos de 12 meses para essa identificação.

Segundo Demócrito de Barros Miranda Filho, membro da equipe que identificou essa associação, entender o que estava acontecendo não foi fácil e demandou muito esforço de todos os envolvidos. “O grupo recrutou 32 crianças nascidas vivas ou natimortos com microcefalia e 64 crianças sem a doença. Trabalhamos em oito maternidades públicas durante os 11 meses. Todos os detalhes foram fundamentais para mostrar a relação entre a infecção e a saúde do bebê”, relata.

O estudo teve grande relevância no combate à epidemia, que atingiu, principalmente, a região nordeste do Brasil. Hoje, a epidemia está sob controle, mas o MERG segue investigando outros aspectos da infecção congênita pelo vírus Zika e apoiando a elaboração de material técnico e educativo.

“Nosso trabalho é contínuo, passamos por uma grande crise e, agora, continuamos as pesquisas em outras áreas da epidemiologia buscando outras respostas como o risco de mulheres infectadas pelo vírus Zika ter filhos com complicações congênitas; quais as possíveis manifestações dessa infecção, além da microcefalia; como se desenvolvem as crianças afetadas ao longo do tempo; e testes diagnósticos. Ganharmos o Prêmio Péter Murányi esse ano foi uma recarga. Importante para sabermos que estamos no caminho certo. Essas iniciativas são cruciais para garantir o fomento e o ambiente necessários aos pesquisadores brasileiros que atuam, sobretudo, na saúde pública, uma área carente de incentivos e com alta demanda em inovação”, conclui o especialista.

A palestra acontecerá das 10h ao meio-dia, no auditório da Famed, em Maceió. O evento é aberto ao público.

Entre médicos, epidemiologistas, estatísticos, clínicos e equipe laboratorial, o trabalho, foi realizado por: Dra Celina Turchi (Fiocruz-PE); Dra. Thalia Barreto (Universidade Federal de Pernambuco – UFPE); Dra. Laura Rodrigues (London School of Hygiene and Tropical Medicine – UK); Dr. Ricardo Ximenes, Dr. Demócrito Miranda e Dr. Ulisses Montarroyos (UPE); Dr. Wayner Souza, Dra. Cynthia Braga e Dra. Maria de Fátima Militão, Dr. Rafael Dhalia, Dr. Ernesto Marques e Dra. Marli Tenório (Fiocruz-PE).

Sobre o Prêmio Péter Murányi

Organizado pela Fundação Péter Murányi, a premiação recebeu, em sua 17ª edição, 225 trabalhos inscritos, vindos de toda a América Latina. O estudo vencedor foi avaliado por uma Comissão Técnica Científica composta por especialistas na área de saúde e submetidos à votação de um Júri.

O Prêmio Péter Murányi é realizado anualmente, com temas que se alternam a cada edição: Saúde, Ciência & Tecnologia, Alimentação e Saúde – cada uma destas temáticas é revisitada após quatro anos.

A Fundação Péter Murányi distribui um total de R$ 250 mil em prêmios, sendo R$ 200 mil para o vencedor, R$ 30 mil para o segundo colocado e R$ 20 mil para o terceiro melhor trabalho.

A premiação conta com o apoio das seguintes entidades: ABC (Academia Brasileira de Ciências), Aconbras (Associação dos Cônsules no Brasil); Aciesp (Academia de Ciências do Estado de São Paulo); Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras); Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior); CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola); CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico); Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo); e SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).

SERVIÇO:

Conferência: Associação entre o vírus Zika e microcefalia – Vencedor do Prêmio Péter Murányi 2018

Data: 26 de julho

Horário: das 10h às 12h

Conferencista: Demócrito de Barros Miranda Filho (UPE/MERG)

Apresentador: André Fernando Ferreira (FPM)

Local: Famed (Restaurante) – Auditório

Informações e inscrições: http://ra.sbpcnet.org.br/maceio/