Notícia

Folha de S. Paulo - Vale (São José dos Campos)

Pesquisa mostra que crianças têm dormindo menos

Publicado em 03 fevereiro 2006

De quantas horas de sono uma criança pequena precisa? Alguns especialistas recomendam de 10 a 12 horas, enquanto outros, mais tradicionais, sugerem de 12 a 15 horas, incluindo a soneca vespertina. De qualquer maneira, nem mesmo o menor desses valores parece estar sendo alcançado.
Sabe-se que muitos adultos e adolescentes, especialmente nos grandes centros urbanos, não têm dormido o suficiente, mas um novo estudo feito nos Estados Unidos mostra que crianças menores de 5 anos também estão passando mais tempo acordadas.
O trabalho foi feito por pesquisadores do Hospital Bradley e da Escola Médica Brown, ambas em Rhode Island, e publicada na edição de dezembro do periódico Sleep, da Academia Norte-americana de Medicina do Sono e da Sociedade de Pesquisa do Sono.
"Ficamos surpresos ao verificar que as crianças em idade pré-escolar estão dormindo tão pouco. Os resultados de nosso estudo mostraram uma média de apenas 8,7 horas por noite e de menos de 9,5 horas a cada 24 horas, somando o tempo das sonecas diurnas. Isso contrasta radicalmente com os períodos recomendados para essa faixa etária", disse Christine Acebo, do Hospital Bradley e principal autora do estudo, em comunicado da instituição.
Christine conta que pesquisas anteriores mostraram que a diminuição do sono em crianças mais velhas, adolescentes e adultos pode causar problemas físicos e de aprendizado. Outros estudos relacionaram a falta de sono em adultos a disfunções que podem levar à obesidade.
A nova pesquisa envolveu 169 crianças de 1 a 5 anos, que foram acompanhadas uma vez por semana em suas casas. "Resolvemos estudar o sono nessa faixa etária principalmente porque a maioria dos estudos na área tem mais de 25 anos", explica Christine.
Outro resultado considerado preocupante foi que, das crianças avaliadas com mais de 18 meses, 82% não estavam tirando sonecas à tarde diariamente ou em dia algum.
Os pesquisadores se dizem surpresos com os resultados e ressaltam a importância de se realizar novos estudos para que sejam avaliadas corretamente as conseqüências da queda nos períodos de sono e de quantas horas de sono as crianças menores de 5 anos realmente precisam.
"Baseado no que sabemos de estudos com jovens e adultos é possível especular que essa insuficiência pode estar relacionada com alguns problemas, mas essa é uma área que tem sido pouco estudada há décadas", disse Christine. O artigo Sleep/wake patterns derived from activity monitoring and maternal report for healthy 1- to 5-year-old children pode ser lido no periódico Sleep, em www.journalsleep.org.
Agência FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo