Notícia

CBN Notícias (Vitória, ES)

Pesquisa investiga se células de gordura são fontes que agravam covid

Publicado em 12 novembro 2020

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) analisaram o papel do tecido adiposo no agravamento da covid-19. A equipe, coordenada pela professora do Departamento de Cirurgia, Marilia Cerqueira Leite Seelaender, descobriu que as células de gordura servem como reservatório para o Sars-Cov-2, contribuindo para aumentar a carga viral de indivíduos obesos ou com sobrepeso. Em entrevista à CBN Vitória, ela traz mais detalhes do andamento da pesquisa.

As descobertas dos cientistas brasileiros estão relatadas em um artigo publicado na revista científica Advances in Nutrition. No estudo, os pesquisadores apresentam a hipótese de que, durante a infecção, as células de gordura liberam na corrente sanguínea substâncias que amplificam a reação inflamatória desencadeada pelo vírus no organismo. “Já foi demonstrado que no organismo de pacientes com Covid-19 ocorre uma tempestade de citocinas que resulta em inflamação sistêmica similar à sepse. Nós acreditamos que esses fatores inflamatórios estão vindo do tecido adiposo. Já foi demonstrado que os adipócitos quando se expandem demasiadamente tornam-se capazes de promover inflamação no corpo todo, até mesmo no cérebro”, afirmou Seelaender à Agência Fapesp.

O estudo, que contou com a colaboração do professor da Universidade de Oxford, Peter Ratcliffe – um dos premiados com o Nobel de Medicina em 2019 – analisou amostras de tecido adiposo de pessoas que morreram de covid. Os pesquisadores também coletaram células de gordura de pacientes infectados com o novo coronavírus que precisaram ser submetidos a cirurgias de emergência, mas sem relação com a infecção. Confira