Notícia

360 Graus

Pesquisa fornece dados científicos para a prática da canoagem slalom

Publicado em 17 outubro 2012

Quando se realizarem, em 2016, os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, os brasileiros talvez venham a se surpreender positivamente com o desempenho da Seleção Brasileira de Canoagem Slalom.

Caso se confirme, tal performance não será fruto do acaso, mas de sólidas bases científicas. É que parte dos atletas que agora integram a equipe brasileira dessa modalidade participou, recentemente, da pesquisa conduzida pelo estudante Leonardo Henrique Dalcheco Messias, sob a orientação da professora doutora Fúlvia de Barros Manchado Gobatto.

Apoiado com Bolsa da FAPESP, Messias desenvolveu o estudo "Análise de diferentes modelos matemáticos e combinações de esforços máximos, utilizando o modelo de velocidade crítica em canoagem slalom", resultante de dados parciais obtidos em projeto de iniciação científica.

O projeto se estendeu de janeiro a dezembro de 2011, período no qual Messias e Gobatto desenvolveram atividades de pesquisa na Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep).

Dentre os principais objetivos do estudo, destaca-se a aplicação de um modelo de avaliação das condições aeróbia e anaeróbia de atletas de alto rendimento na canoagem slalom, estudando os efeitos do treinamento esportivo sobre esses parâmetros, bem como suas relações com as respostas fisiológicas observadas em provas simuladas.

O estudo buscou reproduzir as condições reais das competições, empregando os mesmos gestos e equipamentos utilizados no esporte e realizando as avaliações nos locais onde habitualmente as equipes treinam, isto é, em lagoas e rios.

“Esses aspectos são fundamentais se considerada a possibilidade da tradução dos resultados científicos em orientações técnicas precisas, fornecendo aos preparadores informações para a prescrição de treinamentos adaptados às características individuais dos atletas”, disse Messias à Agência FAPESP.

“Protocolos de avaliação realizados em esteira rolante e cicloergômetro não expressam as condições reais dos esforços físicos efetuados em todas as modalidades esportivas. Nesse sentido, testes que respeitem a especificidade da modalidade precisam ser adotados”, disse Gobatto.

Segundo a orientadora, por conta das características da canoagem slalom, os atletas necessitam de condicionamento anaeróbio para suportar intensidades de exercício elevadas, quando remam contra a correnteza dos rios, e de condicionamento aeróbio, que pode ser estimado pela “velocidade crítica” durante a recuperação dos esforços nas provas e nas sessões de treinamento.

“Investigamos a aplicabilidade dos testes e os efeitos de oito semanas de treinamento, com intensidade e volume monitorados, sobre os parâmetros aeróbio e anaeróbio estimados pelo modelo de avaliação adotado”, disse Gobatto.

“Por conta dos resultados positivos visualizados no estudo de iniciação científica, estabelecemos parceria com a Confederação Brasileira de Canoagem. E, a partir de agora, efetuaremos nossas pesquisas com os atletas da seleção”, disse Messias.

Autor: Com informações da Agência Fapesp