Notícia

Portal Exame

Pesquisa fala sobre a embriaguez na conquista da América

Publicado em 06 dezembro 2013

Por Karina Toledo, da Agência FAPESP
São Paulo – Mais do que mera diversão ou escapismo, o consumo de álcool, tabaco e alucinógenos entre os incas e os astecas tinha caráter ritualístico, religioso e até curativo. Já para os colonizadores europeus – embora também acreditassem no poder medicinal de certas substâncias psicoativas – a prática representava a adoração ao demônio e, portanto, deveria ser combatida. Essa ambiguidade do discurso espanhol sobre o consumo de drogas entre os índios, no período da colonização, é tema do livro A embriaguez na [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.