Notícia

Revista Eletrônica de Potência

Pesquisa em biopolímeros

Publicado em 01 fevereiro 2008

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a Braskem assinaram no final de dezembro um convênio de cooperação para incentivar o avanço do conhecimento na obtenção de polímeros - utilizados na produção de plásticos - a partir de matérias-primas renováveis da cadeia produtiva de biocombustíveis. O acordo prevê investimento total de R$ 50 milhões, divididos igualmente entre a Fapesp e a Braskem ao longo de cinco anos.

Presente à cerimônia de assinatura, o governador José Serra destacou o papel da Fapesp na produção de ciência e também de tecnologia no Estado de São Paulo. Sobre as pesquisas com vistas a aplicações previstas pelo acordo, afirmou que "a substituição de produtos de origem fóssil tem grande importância para o meio ambiente. Cerca de 46% da energia consumida no País já é renovável e devemos contribuir para ampliar ainda mais esta margem".

O presidente da Fapesp, Celso Lafer, destacou o acordo pelo que ele representa em termos de convergência e cooperação entre os setores público e privado. "É importante realçar a dimensão dessa parceria para a matriz energética e para o desenvolvimento sustentável do País", disse.

Os projetos de pesquisa financiados no âmbito do convênio serão desenvolvidos conjuntamente por pesquisadores de universidades e institutos de pesquisa do Estado de São Paulo e da Braskem, nos termos do Programa Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (Pite), da Fapesp.

São dois grandes temas de interesse propostos na chamada pública para apresentação de projetos: processos de síntese de intermediários, monômeros e polímeros a partir de matérias-primas renováveis (açúcares, etanol, biomassa, glicerol e outros intermediários e subprodutos da cadeia produtiva de biocombustíveis); e pesquisas na área de materiais atribuindo aos "polímeros verdes" propriedades físico-químicas que permitam sua utilização em diferentes aplicações.