Notícia

Jornal do Estado (PR) online

Pesquisa descobre o mais antigo pato

Publicado em 19 junho 2006

Agência FAPESP

Ele parece com um pato, bate as asas como um pato e nada como um pato. Mas o Gansus yumenensis, que viveu há cerca de 110 milhões de anos, na China, é mais do que isso. Ele é, até o momento, o mais antigo integrante da linhagem que deu origem aos pássaros modernos. Ou seja, todas as aves atuais podem ter derivado de um ancestral que realmente lembra muito um pato.
Um grupo de cientistas chineses e norte-americanos encontrou próximo à cidade de Changma, a 2 mil quilômetros a oeste de Pequim, fósseis que classificaram como "espetaculares", dado o surpreendente estado de preservação. São cinco esqueletos quase completos, com a maioria dos ossos inteiros e penas carbonizadas que podem ser vistas claramente.
O achado preenche uma lacuna na evolução das aves e também sugere que os pássaros de hoje se originaram de ambientes aquáticos. As conclusões da análise estão descritas em artigo na edição de 16 de junho da revista Science.
O nome Gansus yumenensis é referência à região de Gansu, onde os fósseis foram encontrados, e à cidade vizinha de Yumen. Detalhes das pernas e dos pés dos fósseis descobertos indicam que o animal provavelmente mergulhava, embora não tão bem como as espécies modernas.
O G. yumenensis é a espécie mais antiga até hoje encontrada pertencente a uma linhagem conhecida como Ornithurae, que inclui as aves modernas (Neornithes) e seus ancestrais imediatos. Os membros do grupo Ornithurae provavelmente surgiram no Cretáceo, entre 140 e 110 milhões de anos atrás.
O artigo A nearly modern amphibious bird from the early Cretaceous of northwestern China, de H. You e outros, pode ser lido por assinantes da Science em

www.sciencemag.org.